Brasileira relata “pavor” durante o atentado que deixou mortos em Munique

  • Por Jovem Pan
  • 22/07/2016 20h53
O centro de compras fica no distrito de Moosach

Um tiroteio que deixou, até o momento, nove mortos em Munique, na Alemanha, espalhou o terror pela cidade. Três atiradores teriam sido os responsáveis pelo atentado e a polícia local segue na busca pelos suspeitos. Em entrevista exclusiva à Jovem Pan, a brasileira que mora na cidade, Natasha Egger, afirmou que o sentimento no momento era de “pavor”.

“Total tensão, pavor, nunca na minha vida vivenciei algo assim. Foi horrível, agora as coisas estão mais calmas porque eu consegui chegar em casa e minha irmã também”, contou a brasileira, que é do Rio de Janeiro.

Segundo Egger, ela estava a caminho do shopping, que é um local bastante conhecido em Munique e, quando estava próxima ao local, o metrô parou de funcionar. O motorista do trem afirmou que os policiais tinham fechado o shopping e, como tem uma estação dentro do local, o metrô não poderia prosseguir.

“Foi nesse momento que eu vi que era algo sério, que poderia ser um atentado terrorista. Perguntei para um policial e ele não quis me responder, disse que não sabia e para eu ir para casa”, explicou.

A brasileira disse que nunca se imaginou em tal situação e, após o ocorrido na cidade alemã, pensa em retornar ao país de origem.

“Nunca fui assaltada no RJ, nada do tipo aconteceu comigo, fico triste porque lá vivemos essa tensão de violência. E aqui, que teoricamente era um lugar seguro, não é mais para mim. As próximas semanas serão difíceis para tocar a vida, estou pensando em trocar minha passagem e antecipar o retorno. (…) Nunca achei que participaria desse momento”, disse a brasileira.