Briga em parlamento turco deixa 5 deputados feridos

  • Por Agencia EFE
  • 18/02/2015 10h10

Ancara, 18 fev (EFE).- Cinco deputados da oposição turca ficaram feridos na noite de terça-feira na Assembleia Nacional, em Ancara, durante uma violenta briga sobre um novo pacote de medidas que aumenta o poder da polícia.

O governante Partido Justiça e Desenvolvimento (AKP) do primeiro-ministro, Ahmet Davutoglu, apresentou o pacote de medidas ao parlamento, pressionando, junto ao presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, para que fosse aprovado rapidamente.

No entanto, os três partidos da oposição recusam essas leis por considerarem que as medidas colocarão o país sob a lei marcial, restringindo liberdades.

Às 2h desta quarta-feira (22h de terça-feira em Brasília), o debate parlamentar sobre as novas medidas teve que ser interrompido praticamente sem ter começado, devido a uma violenta briga em torno ao polêmico projeto de lei.

Representantes do AKP enfrentaram integrantes dos opositores Partido Republicano do Povo (CHP) e Partido Democrático do Povo (HDP).

Dois deputados do HDP, entre eles uma mulher, e três do CHP ficaram feridos quando os integrantes do AKP começaram a atacar fisicamente e atirar copos sobre eles. Um membro do CHP sofreu uma fratura nas costelas, segundo declarações obtidas pela imprensa local.

“Sempre houve confusão no parlamento, mas nunca vi nada similar a isso”, disse Ertugrul Kürkçü, representante do HDP, ao jornal turco “Hurriyet”.

“Os deputados do AKP fizeram uma demonstração do que a polícia poderia chegar a fazer com a aprovação do projeto de lei. Vimos uma demonstração da sua forma de atuar. Mas essa situação aumentou nosso poder para contrariar esee pacote (de leis)”, disse o político.

As medidas de segurança propostas incluem leis que ampliam o poder da polícia, entre elas perseguir e deter pessoas por 48 horas sem a necessidade de permissão de um juiz ou promotor, e atirar contra manifestantes que usarem coquetéis molotov. EFE