Britânico é detido no Quênia com 100 kg de cocaína procedente do Brasil

  • Por EFE
  • 12/08/2016 13h32

Ele foi apreendido com 100 kg de cocaína do Brasil e pode pegar prisão perpétua

Britânico Jack Alexander Wolf Marrian cumprimenta seu advogado em sala judicial de Nairóbi

Um cidadão britânico foi detido no Quênia por suposta tentativa de introduzir 100 quilos de cocaína que estavam escondidos em uma carga de açúcar transportada por um navio procedente do Brasil, informou nesta sexta-feira a imprensa local.

O detido, Jack Alexander Wolf Marrian, foi posto em liberdade pelo Tribunal Superior do Quênia após pagar uma fiança de 70 milhões de xelins (cerca de 616 mil euros), segundo os veículos de imprensa de Nairóbi.

O arsenal, avaliado em 5 milhões de euros, é uma das maiores apreensões de droga registrada neste país nos últimos anos.

A mercadoria chegou na semana passada ao porto queniano de Mombaça, o principal do leste da África, e tinha como destino a vizinha Uganda, onde o detido dirige uma empresa.

O britânico é diretor da Mshale Uganda Limited, uma companhia que tinha adquirido a carga de açúcar, como demonstra a documentação encontrada na embarcação.

Também foi detido o queniano Roy Francis Mwanthi, diretor de Inland África Logistics Limited, que tinha organizado supostamente a descarga da mercadoria em Mombaça antes de ser apreendida.

O tribunal rejeitou o pedido da promotoria de manter sob detenção os acusados até que sejam julgados.

Marrian, pertencente a uma família aristocrata escocesa, e Mwanthi negaram as acusações.

O tráfico de drogas é um crime castigado no Quênia com até prisão perpétua.