Busca por desaparecidos após erupção de vulcão no Japão continua

  • Por Agencia EFE
  • 28/09/2014 01h17

Tóquio, 28 set (EFE).- As autoridades japonesas reataram neste domingo a busca por 32 pessoas que faziam trilha desaparecidas na erupção do Monte Ontake (centro do Japão), que também deixou um morto e meia centena de feridos.

O Ontake, o segundo vulcão mais alto do Japão e situado a cerca de cem quilômetros da cidade de Nagoia, começou a expulsar fumaça e cinzas às 11h53 (horário local do sábado), e desde então continuaram as erupções, segundo informou a Agência Meteorológica japonesa.

Centenas de pessoas estavam praticando caminhada no vulcão no momento da erupção, e deles cerca de 230 conseguiram ser retirados, os últimos deles na manhã de hoje e com a intervenção de um helicóptero das Forças de Autodefesa (Exército).

Outras 32 pessoas continuam desaparecidas, segundo informou o governo da Prefeitura de Nagano à agência “Kyodo”.

No entanto, as autoridades japonesas desconhecem o número exato de excursionistas que estavam no no local no momento da erupção.

Os serviços de resgate foram obrigados a parar suas operações durante a noite de sábado para domingo por causa da baixa visibilidade e do risco de que o vulcão emitisse gases tóxicos, circunstâncias que ainda dificultam a busca de desaparecidos.

Cerca de 550 policiais, bombeiros e membros das Forças de Autodefesa participam atualmente nestas operações.

O departamento de bombeiros de Kiso, na província de Nagoia, confirmou no sábado a morte de uma mulher que foi achada pelos serviços médicos no alto do monte, enquanto outras 49 pessoas ficaram feridas por queimaduras e lesões provocadas por quedas.

A Agência Meteorológica japonesa prevê que aconteçam mais erupções que poderiam afetar os moradores mais próximos e, em particular, alertou sobre a queda de cinzas vulcânicas e rochas em um raio de quatro quilômetros em torno ao vulcão.

O Monte Ontake é o segundo maior vulcão do Japão, atrás do Monte Fuji (3.776 metros), e fica entre as cidades de Gifu e Nagano.

Sua última grande erupção aconteceu em 1979, quando expulsou cerca de 200 mil toneladas de cinzas, enquanto em 1991 registrou outra erupção menor, e em 2007 provocou uma série de terremotos vulcânicos.

O Japão está situado no anel de fogo do Pacífico e conta em seu território com mais de uma centena de vulcões ativos e inativos. EFE

ahg/ma