Caixa divulga calendário de saque do FGTS por data de nascimento; confira

  • Por Jovem Pan com AE e Agência Brasil
  • 14/02/2017 12h27
Cartões, dinheiro e cheques. Foto: Marcos Santos/USP Imagens Fotos Públicas Dinheiro no Bolso - Fotos Públicas

A Caixa Econômica Federal divulgou, na manhã desta terça-feira (14), o calendário de saques do FGTS inativo. Os pagamentos serão realizados entre março e julho.

O cronograma de saques foi feito com base na data de nascimento do trabalhador. Beneficiários nascidos nos meses de janeiro e fevereiro poderão procurar as agências da Caixa de 10 de março a 9 de abril.

Quem nasceu em março, abril e maio vai sacar o dinheiro entre 10 de abril e 11 de maio. Trabalhadores nascidos nos meses de junho, julho e agosto vão receber entre os dias 12 de maio e 15 de junho; nascidos em setembro, outubro e novembro, de 16 de junho a 13 de julho; e  nascidos em dezembro, de 14 a 31 de julho.

calendário de saques do FGTS

Segundo o presidente da Caixa, Gilberto Occhi, cerca de 30 milhões de trabalhadores serão contemplados, em operação que envolve 49 milhões de contas e aproximadamente R$ 43 bilhões.

Occhi afirmou que a Caixa abrirá agências a partir da quarta-feira (15), com duas horas de antecedência até a próxima sexta-feira. Além disso, funcionará por cinco horas aos sábados, para atender ao trabalhador.

O trabalhador poderá acessar o site www.caixa.gov.br/contasinativas ou ligar para o 0800-7262017 para conseguir informações.

Os beneficiários também podem acessar o aplicativo FGTS para saber se têm saldo em contas inativas, mas é necessário lembrar que os saques só podem ser feitos em contas que foram desativadas até  31 de dezembro de 2015.

Para reforçar os atendimentos, a Caixa vai abrir as agências os primeiros sábados dos cronogramas mensais de pagamento (com exceção de abril, mês que a data coincide com a Semana Santa). As datas serão 18 de fevereiro, 11 de março, 13 de maio, 17 de junho e 15 de julho.

Como sacar o FGTS inativo

Os beneficiários terão quatro opções para recebimento dos valores de contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço. Quem tem conta corrente na Caixa poderá pedir o recebimento do crédito em conta, por meio do site das contas inativas. O saque também pode ser feito em caixas eletrônicos. Para valores de até R$ 1.500, é possível sacar só com a senha do Cartão do Cidadão, mesmo que o beneficiário tenha perdido o documento. Para valores de até R$ 3.000, o saque pode ser feito com Cartão do Cidadão e a respectiva senha.

Os valores do FGTS inativo também podem ser retirados em agências lotéricas e correspondentes Caixa Aqui. Neste caso, o beneficiário vai precisar do Cartão do Cidadão, da respectiva senha e de um documento de identificação.

Há, ainda, a possibilidade de retirar o dinheiro diretamente nas agências bancárias. Os documentos necessários são o número de inscrição do PIS (Programa de Integração Social) e o documento de identificação do trabalhador. É recomendado levar também o comprovante da extinção do vínculo (carteira de trabalho ou termo de rescisão do contrato de trabalho).

Impulso econômico

Cerca de 30,2 milhões de trabalhadores terão direito a sacar os valores depositados nas contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), conforme estimativas do governo federal. De acordo com a Caixa Econômica Federal, existem 49,6 milhões de contas inativas com saldos que somam R$ 43,6 bilhões. O objetivo do governo federal com é estimular a economia com uma injeção de R$ 30 bilhões.

Sempre que o trabalhador inicia um contrato de trabalho, uma nova conta de FGTS é gerada. Ao encerrar esse contrato a conta torna-se inativa. Caso, ao final do contrato, não se faça o saque desses recursos, a conta inativa fica rendendo juros de 3% ao ano mais taxa referencial. O governo vai disponibilizar os valores das contas inativas encerradas até 31 de dezembro de 2015.

Em seu discurso, o ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira, disse que, com a medida, o governo demonstra sensibilidade com as pessoas que se encontram endividadas e com risco de perder seu emprego.

“Tivemos queda do PIB de 3,8% em 2015. O desemprego atingiu níveis elevados e o governo vem agora com essas medidas demonstrando a sensibilidade que o governo tem com essas pessoas. A partir dessa semana essas pessoas começarão a ter acesso a esses recursos. Poderão não só saldar as suas dívidas, mas também voltar a consumir e dinamizar a economia brasileira”, disse o ministro.

De acordo com a caixa, aproximadamente 95% das contas inativas têm saldo de até R$ 3 mil e 5% têm valores superiores.