Centenas de curdos deixam a Turquia para combater o EI na Síria

  • Por Agencia EFE
  • 15/07/2014 11h57

Beirute, 15 jul (EFE).- Centenas de curdos deixam a Turquia para entrar na província síria de Aleppo e lutar contra o grupo jihadista Estado Islâmico (EI), que tenta tomar a região de Kobani, de maioria curda, informaram nesta terça-feira ativistas e fontes curdo-sírias.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos assinalou que pelo menos 900 combatentes curdos deixaram o território turco para se unir às chamadas Unidades de Proteção do povo Curdo, que luta contra o EI na Síria.

O porta-voz das Unidades de Proteção do povo Curdo, Ridor Khalil, confirmou à Agência Efe a chegada de reforços a Kobani, embora não tenha oferecido um número preciso, e explicou que tal postura faz parte das operações de segurança para defender a região.

Khalil acrescentou que, na atualidade, há confrontos contra o EI no oeste desta região e assegurou que seus homens causaram dezenas de baixas entre os jihadistas.

Os curdos da Síria se concentram na província de Al Hasaka, no nordeste do país, e nas regiões de Afrin e de Ain al Arab, também denominada Kobani, em Aleppo (norte), representando 9% da população do país.

Nos últimos dias, o EI lançou vários ataques em uma tentativa de tomar o controle de Kobani, o que acabou mobilizando as forças curdo-sírias em sua defesa.

No final de junho, a organização extremista sunita proclamou um califado islâmico entre o Iraque e a Síria. EFE