Chanceler venezuelano pede moderação aos Estados Unidos

  • Por Agencia EFE
  • 22/02/2014 02h02

Manágua, 21 fev (EFE).- O chefe da diplomacia na Venezuela, Elías Jaua, pediu moderação aos Estados Unidos nesta sexta-feira, em referência à preocupação mostrada pelos americanos sobre os incidentes violentos no país sul-americano.

“Quem deve agir com moderação são aqueles que financiaram, promoveram e agora defendem esses grupos (manifestantes), o governo do presidente Barack Obama, são eles que devem ter moderação e respeitar a soberania e independência do povo da Venezuela”, disse Jaua, em discurso na Nicarágua.

O chanceler venezuelano chegou de surpresa ao país centro-americano para comemorar o 80º aniversário da morte do herói local Augusto César Sandino.

O diplomata venezuelano não aceitou as explicações da subsecretária de Estado para o Hemisfério Ocidental, Roberta Jacobson, sobre dialogar com a oposição.

“Nisso a posição do presidente Nicolás Maduro e da direção política militar é inabalável: diálogo certamente que sim, para que nos deixem governar, mas não para negociar”, explicou Jaua.

Enquanto o chanceler fazia seu discurso em Manágua, a capital da Nicarágua, Maduro oferecia a possibilidade de dialogar com Obama na Venezuela.

“Convoco o senhor, presidente Obama, para um diálogo. Convoco um diálogo entre a Venezuela patriota e revolucionária e os Estados Unidos e seu governo. Aceite o desafio, vamos iniciar um diálogo de alto nível e coloquemos sobre a mesa a verdade”, disse Maduro.

Por outro lado, o presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, reiterou seu apoio ao governo de Maduro. EFE