China pede à Malásia que ceda “informações e provas” de que avião caiu

  • Por Agencia EFE
  • 24/03/2014 16h03

O governo da China pediu nesta segunda-feira ao da Malásia para que lhe ceda “todas as informações e provas” que levaram à conclusão de que o avião da companhia Malaysia Airlines desaparecido no dia 8 de março caiu no oceano Índico.

O anúncio desse pedido foi feito pelo porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Hong Lei, em um breve comunicado divulgado pouco depois de o primeiro-ministro da Malásia, Najib Razak, ter informado em entrevista coletiva que o avião caiu no sul do Oceano Índico e que seus 239 ocupantes morreram, entre eles 153 chineses e um taiuanês.

Antes do anúncio de Razak, a Malaysia Airlines enviou aos familiares das pessoas que estavam a bordo do Boeing 777-200 uma mensagem de texto na qual lamentava comunicá-los que “nenhum sobreviveu”.

Depois da divulgação das mortes feita pela Malásia, parentes dos passageiros chineses protagonizaram cenas de dor e indignação no hotel Lido, em Pequim, onde aguardavam notícias, e várias ambulâncias foram enviadas ao local para atender alguns deles que passaram mal.

Muitos desses familiares pediam mais provas às autoridades e para que continuassem as buscas do avião.

As autoridades malaias não deram uma explicação sobre o que ocorreu com a aeronave e vai esperar o resgate das caixas-pretas que estavam a bordo.

O voo MH370 decolou de Kuala Lumpur rumo a Pequim na madrugada do dia 8 de março e desapareceu dos radares civis da Malásia 40 minutos depois. EFE