Choque de trens na região de Moscou deixa, pelo menos, seis mortos

  • Por Agencia EFE
  • 20/05/2014 15h55

(Atualiza com novos números de vítimas)

Moscou, 20 mai (EFE).- Pelo menos seis pessoas, cinco delas de cidadania moldávia, morreram e 25 ficaram feridas nesta terça-feira em um choque de trens ocorrido na região de Moscou, informaram as autoridades regionais.

“Há mais uma vítima, já que um passageiro morreu no hospital. Desta forma, já são seis”, disse Dmitri Pestov, porta-voz do governo regional, às agências locais.

De acordo com o Ministério da Saúde, 25 passageiros tiveram que ser hospitalizados. Desses, 17 (entre eles uma criança) estão em estado grave em hospitais da região e da capital russa.

O vice-ministro de Transporte da Moldávia, Vladimir Chebotar, estimou em nove os mortos no acidente ocorrido a cerca de 80 quilômetros de Moscou, segundo a agência oficial russa “RIA Novosti”.

“Dezesseis vagões do trem de carga com contêineres descarrilaram. Dois vagões do trem de passageiros Moscou-Chisinau ficaram danificados”, informou um porta-voz da corporação Ferrovias da Rússia.

O acidente aconteceu perto da estação Bekasovo depois que um dos vagões de um trem ucraniano que transportava alimentos desestabilizou. Em seguida, os vagões que saíram dos trilhos chocaram contra os vagões sete e oito do trem de passageiros que se dirigia a Chisinau, capital da Moldávia.

O acidente ocorreu uma hora depois que o trem, no qual viajavam 400 pessoas, partiu de Moscou rumo a Chisinau, aonde devia chegar dentro de um dia e nove horas. Centenas de soldados do Ministério para Situações de Emergência foram ao local do acidente.

O presidente russo, Vladimir Putin, que está em visita à China, prometeu, em comunicado, uma investigação exaustiva do acidente, que poderia ter sido causado pelas obras de reparação que estão sendo realizadas na via férrea.

Por conta do acidente, a circulação de trens por essa rota foi suspensa provisoriamente. O primeiro-ministro russo, Dmitri Medvedev, ordenou a Ferrovias da Rússia que tome as medidas necessárias para seu imediato restabelecimento.

Enquanto isso, a Procuradoria Geral russa começou um processo penal por infringir as normas de segurança no transporte ferroviário. EFE