Chuva forte deixa ao menos 16 mortos na Grande São Paulo e mais dois no interior

  • Por Jovem Pan
  • 11/03/2016 08h09
SP - CHUVAS/SP/FRANCO DA ROCHA - GERAL - Vista aérea do alagamento provocado pela chuva na região de Franco da Rocha, na Grande São Paulo, na manhã desta sexta-feira (11). Ao menos dez pessoas morreram na Grande São Paulo por causa de deslizamentos decorrentes da chuva que caiu entre a noite desta quinta (10) e madrugada desta sexta (11). 11/03/2016 - Foto: MARCEL NAVES/ESTADÃO CONTEÚDOVista aérea do alagamento provocado pela chuva na região de Franco da Rocha

A forte chuva que cai desde a noite desta quinta (10) na região metropolitana de São Paulo matou pelo menos 16 pessoas, confirmou Marcos Palumbo, porta-voz do corpo de Bombeiros, à Jovem Pan. A maioria foi vítima de desabamentos em casos de deslizamentos de terra.

Dez dos óbitos ocorreram em Francisco Morato em quatro ocorrências distintas. Quatro pessoas morreram em Mairiporã; sete pessoas estavam desaparecidas e eram procuradas pelas equipes de resgate. Uma pessoa morreu por afogamento em Guarulhos e uma morreu afogada em Cajamar. Quatro pessoas foram socorridas com vida no bairro do Jardim Ângela, na zona sul da capital.

Outras duas pessoa morreu em Itatiba, na região de Campinas, interior de SP, também por causa das chuvas, totalizando ao menos 18 mortos em todo Estado. Nove pessoas seguem desaparecidas, a maioria em Mairiporã. Duas pessoas ainda não haviam sido encontradas no Jardim Ângela.

A Defesa Civil de Francisco Morato informou que há, no mínimo, 15 pontos com risco de desabamento na cidade. O centro está alagado, e os trens da Linha 7-Rubi, da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), não circulam por causa da água que invade os trilhos.

O Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo), próximo à Marginal Pinheiros, que chegou a ser inundado, já foi liberado e abriu aos negócios. Uma grande fila de caminhões se formou na região.

As tempestades começaram por volta de 16h30 de quinta e seguiram noite e madrugada adentro em todas as regiões da cidade. Em poucos minutos, o CGE, Centro de Gerenciamento de Emergência da Prefeitura, colocou praticamente todas as regiões em estado de atenção para o risco de transbordamento de córregos e rios, inclusive nas duas marginais.

Na Grande São Paulo, grandes alagamentos tomaram conta de áreas centrais dos municípios de Caieiras, Mairiporã, Franco da Rocha e Francisco Morato. Pessoas ficaram ilhadas, veículos ficaram submersos e alguns foram arrastados pelas águas. Os bombeiros foram acionados para resgatar vítimas de soterramentos de um morro que deslizou sobre várias casas próximo à Rua da Primavera, no Parque Náutico, em Mairiporã, na Grande São Paulo. Até o final da madrugada de sexta-feira, cinco pessoas haviam sido resgatadas com vida e uma menina de 4 anos de idade morreu.

Na Capital, o Rio Pinheiros invadiu as pistas da Marginal junto ao Cebolão, interditando completamente as vias. No início da madrugada, motoristas que chegavam à cidade pela Rodovia Castelo Branco foram pegos de surpresa e obrigados a voltar pela contramão .O Pinheiros também transbordou na altura da Ponte Cidade Universitária, enquanto que, na Marginal do Tietê, houve transbordamentos junto às Pontes do Limão, Piqueri, Fepasa e Dutra.

O estado de atenção foi retirado pelo CGE por volta das 2h da madrugada em todas as regiões, menos na Zona Sul que perdurou até quase às 3h30. Já as duas marginais continuavam em estado de alerta até o início da manhã.

Foram registradas quedas de árvores, com interdições de vias, e semáforos desligados em importantes cruzamentos da Capital. Deslizamentos de terra e alagamentos interditaram também pelo menos três rodovias que servem a região metropolitana da Capital paulista. A pior situação ocorreu na SP-332, que liga a Grande São Paulo ao interior, que está parcialmente interditada nos dois sentidos devido a queda de seis barreiras. As interdições ocorrem nos kms 39, 42, 44, 46, 48 e 49 e, segundo o DER, nestes trechos, foi implantada a operação Pare/Siga para os motoristas. Não havia previsão de liberação.

Na Rodovia Presidente Dutra, uma queda de barreira ocupa a pista expressa, no sentido Rio de Janeiro, entre os kms 193 e 194, região de Santa Isabel, na Grande São Paulo. E pela Anhanguera, um alagamento interditou os dois sentidos da rodovia no km 36.

A chuva também trouxe problemas para os passageiros do aeroporto internacional de Cumbica, em Guarulhos. Segundo a GRU Airport, que administra o aeroporto, no início da madrugada houve alagamento em uma subestação, o que interrompeu o fornecimento de energia para parte do sistema de luzes de balizamento da pista. Isso prejudicou as operações de pousos e decolagens, que foram totalmente interrompidas.

Pelo menos 12 aeronaves, sendo 9 de passageiros e 3 de carga, tiveram de ser alternadas para os aeroportos do Galeão, no Rio, e Viracopos, em Campinas, e ao menos 6 voos foram cancelados. Técnicos estão no local fazendo reparo, mas ainda não havia previsão de solução para o problema.

Com informações da madrugada de Paulo Edson Fiore

Com Agência Estado