Cidades nas regiões norte, sul e sudeste ficam sem energia

  • Por Jovem Pan
  • 04/02/2014 16h49

Na tarde desta terça-feira (4) diversos lugares do Brasil ficaram sem luz. O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e as empresas responsáveis pela energia de cada região soltaram notas esclarecendo a razão do problema. Veja abaixo:

ONS

A nota da ONS afirma que “uma perturbação no Sistema Interligado Nacional causou a abertura da interligação em 500 kV entre a Região Norte e as Regiões Sudeste/Sul”. Isso interrompeu o fluxo de 5 mil MW para essas regiões, o que causou a queda.

AES Eletropaulo

A empresa informou em nota que a falha atingiu o fornecimento de energia nos municípios de Cotia, Vargem Grande Paulista, Embu e Diadema. Além disso, a AES informou que dez bairros da capital paulista também foram afetadas: Capão Redondo, Pedreira, Cidade Ademar, Mooca, São Mateus, Vila Prudente, Itaquera, Vila Mariana, Guaianases e Vila Matilde.

Segundo o comunicado, a empresa recebeu a autorização do ONS para religar os clientes e o sistema foi normalizado às 14h58.

Celesc

A empresa informou que a interrupção no fornecimento de energia aconteceu por um procedimento técnico de alívio de carga que todas as concessionários seguem, coordenado pelo ONS. De acordo com a empresa, “o problema é externo à rede de distribuição da Celesc, ou seja, não gerenciável pela Celesc”.

Light

A nota disse que o ONS “solicitou o desligamento de 17 subestações da Light” e que 600 mil clientes tiveram o fornecimento de energia interrompido.

Ministro

Na segunda-feira, o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, descartou que o país possa sofrer desabastecimento elétrico nas próximas semanas, apesar de o nível de água nas hidrelétricas estar em níveis mínimos alarmantes. Ele afirmou que o risco de faltar energia é “zero”, mas admitiu que o Brasil está dependendo atualmente da energia gerada por suas usinas térmicas a gás natural, mais caras e poluentes.

Segundo os números do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), o nível de água média nas represas das hidrelétricas localizadas nas regiões Sudeste e Centro-Oeste no domingo passado era de 39,98% de sua capacidade – o mais baixo no último ano.