Cientistas reproduzem em células humanas modificações próprias do câncer

  • Por Agencia EFE
  • 03/06/2014 10h55

Madri, 3 jun (EFE).- Uma equipe de pesquisadores da Espanha conseguiu reproduzir modificações nos cromossomos de células humanas idênticas às do sarcoma de Ewing e da leucemia mieloide aguda, um avanço que permitirá estudar a fundo estes dois tipos de câncer e buscar novas formas terapêuticas.

A leucemia mieloide aguda é um tipo de câncer do sangue e da medula óssea, enquanto o sarcoma de Ewing é um tipo de tumor ósseo que afeta crianças e adolescentes. O estudo, realizado por cientistas do Centro Nacional de Pesquisas Cardiovasculares (CNIC) e do Centro Nacional de Pesquisas Oncológicas (CNIO), é publicado nesta terça-feira na revista “Nature Communications”.

A possibilidade de reproduzir em células humanas as translocações cromossômicas próprias do câncer tem duas vantagens: geram modelos de trabalho inéditos até hoje para o estudo da Biologia dos tumores e, sua aplicação permite buscar novas formas terapêuticas e tratamentos, explica o CNIO em comunicado.

As alterações provocadas pelo desenvolvimento de tumores obedecem a múltiplas mudanças na fisiologia e do genoma das células. Nos casos de leucemias e outros tumores denominados sarcomas, ocorre intercâmbios de grandes fragmentos de DNA entre cromossomos diferentes, um fenômeno conhecido como translocação cromossômica. Estas translocações são necessárias tanto para a geração quanto para a progressão de vários tipos de câncer.

Até agora não foi possível estudar estes tipos de tumores “pela falta de modelos celulares e animais adequados”, assinala o pesquisador do CNIC Juan Carlos Ramírez, que acrescenta que a dificuldade de gerar as translocações cromossômicas impediu a disposição de células alteradas unicamente no que é uma “marca” da doença: a presença de translocações cromossômicas específicas. EFE