Cinco tendências tecnológicas para ficar atento em 2015

  • Por Marina Ogawa/Jovem Pan
  • 08/01/2015 19h35
Código binário

Afirmar que a tecnologia muda num piscar de olhos em pleno ano de 2015 pode parecer clichê, mas o fato é que cada vez mais os aparelhos, aplicativos e programas que achávamos que eram a “última moda” ficam obsoletos da noite pro dia.

Estar atento a essas mudanças pode fazer a diferença entre um investimento bem sucedido ou não. Por isso, a Jovem Pan Online entrevistou diversos especialistas para saber quais são suas apostas para 2015. Explosão dos livros digitais, aproximação entre máquinas e usuários e segurança estão entre os mais citados. 

Confira abaixo uma lista do que é bom ficar atento: 

1. Livros Digitais

Ainda tem que prefira um livro de papel em mãos, mas o mercado de livros digitais vêm crescendo constantemente e conquistando diversos públicos. 

De acordo com o presidente da Amazon no Brasil, Alex Szpiro, “há dois anos esse mercado [livros digitais] era inexistente. Hoje, já representa em torno de 4 a 5%. Isso se dá por variáveis, como o número de livrarias em uma cidade, por exemplo, e até mesmo o preço do próprio livro”.

Em relação a Amazon e aos livros digitais (e-books) a ambição é uma oferta universal de livros com uma velocidade imbatível. 

Szpiro ainda acrescentou que a empresa está muito otimista com o Brasil e comenta sobre as realizações no país: “lançamos loja de aplicativos, loja de livro físico, plataforma de auto-publicação, além do bom preço, ótima tecnologia e a certeza de entrega dentro da expectativa do cliente”.

2. Big Data e Analytics para conhecimento do cliente

Big Data é um termo utilizado para descrever grandes volumes de dados e que ganha cada vez mais relevância à medida que a sociedade se depara com um aumento sem precedentes no número de informações geradas a cada dia. 

O Big Data armazena e analisa dados. De acordo com o líder Big Data e Analytics da IBM para a América Latina, Sergio Loza, já existem várias empresas fazendo uso dessas tecnologias. “Empresas de varejo, que buscam entender a interação dos clientes com seus produtos e ofertas, mas também empresas financeiras. Elas vêem as preferências dos clientes, se preferem usar um computador, um tablet, um celular”, comenta.

Loza ainda destaca que o uso de Big Data e Analytics em “50% dos projetos que os clientes dizem estar fazendo é relacionado ao conhecimento do cliente. Outros 40% são relacionados a eficiência operacional”.

3. Facebook como plataforma de negócios

Para o diretor de Parcerias de Mídia do Facebook para América Latina, Luis Olivalves, os usuários podem esperar do Facebook em 2015 uma tecnologia cada vez mais aprimorada. “Novidades e serviços acerca do vídeo na rede social serão grandes focos da plataforma. O vídeo vai ter um papel muito importante no que diz respeito a tecnologia, a forma de distribuição de conteúdo”, ressalta.

Sobre a rede social como uma plataforma de negócios, Olivalves mencionou a forte capacitação de negócios como um fomento ao empreendedorismo. “A plataforma tem que ser muito boa, tanto para pequena e média empresa, quanto para usuário”, diz.

4. Comércio eletrônico

O ano de 2014 teve um crescimento bastante rigoroso no que diz respeito ao comércio eletrônico. O consumidor brasileiro já confia mais em compras realizadas pela internet e a utiliza, inclusive, para pesquisa de preços. “É uma cultura que vai se formando. Hoje temos mais de 100 milhões de pessoas que usam a internet para pesquisar preços, comparar e comprar. Atualmente, mais da metade dos consumidores que compram produtos no varejo utilizam a internet para pesquisar preços”, diz o diretor executivo da e-Bit, Pedro Guasti.

Em relação a mobilidade no varejo eletrônico, é válido ressaltar que grande parte das empresas já entenderam a importância e a oportunidade de aprimorar a navegação pelos smartphones. “Algumas empresas desenvolveram aplicativos, outras adaptaram seus sites para funcionar em navegadores e em smartphones e diversos sistemas operacionais. Aqueles que estão inseridos nesse mercado viram que as vendas por dispositivos móveis já representam uma fatia importante no faturamento”, ressalta Guasti.

A tendência para 2015 é o aumento dessa navegação por parte dos consumidores em utilizar as lojas virtuais e a adaptação das lojas em seus sistemas e processos para chamar a atenção desse novo consumidor. “Existe um novo consumidor que vai influenciar nas empresas uma mudança de atendimento. As gerações Millennium, X, Y e Z não querem entrar numa loja e negociar com o vendedor. Elas querem acessar o site e ter acesso a toda diversidade de produtos e ofertas”, e ele ainda acrescenta que “esse consumidor é mais exigente e conectado, e as empresas que não conseguirem adaptar seus modelos para atendê-los terão um grande problema de sobrevivência para os próximos anos”.

5. Segurança Digital

Em 2014 ocorreram diversos ataques hackers, entre eles os que causaram mais alvoroço foram: a proibição do lançamento do fime “A Entrevista” (The Interview) e o vazamento de fotos íntimas de estrelas de Hollywood. Tomar cuidado com o que se posta nas redes sociais ou com o que se divulga na internet é algo que todos sabem e, se existe algo que é bom ficar atento em 2015 é relacionado a segurança digital.

O consultor de Segurança Digital da F-Secure, Ariel Torres diz que é preciso tomar cuidado: “o principal problema é que nós, usuários finais, estamos misturando nossa vida profissional com nossa vida pessoal. Assim ficamos expostos a esse tipo de ataque”. Ele ainda destaca que cada vez que fazemos um comentário, seja por telefone, e-mail, redes sociais, ficamos expostos. “Hoje a rede social é um caminho onde muitas informações ficam expostas. O usuário tem que ser mais precavido. Não tem que compartilhar todas as informações, deve-se separar a vida pessoal da profissional e tem que escolher senhas de acesso mais difíceis. Todos somos afetados”, finaliza Torres.