Clima de festa, protesto e juras de amor a Haddad marcam inauguração de ciclovia na Avenida Paulista

  • Por Jovem Pan
  • 28/06/2015 14h51
Ciclovia da Avenida Paulista é inaugurada em clima de festa

Milhares de pessoas ocuparam a Avenida Paulista, dedicada exclusivamente ao lazer e fechada para a circulação de carros (das 10h a 17h) neste domingo (28).

Famílias inteiras passeando com seus cachorros, artistas de rua, barraquinhas, balões e muitas bicicletas desfilaram por uma das vias mais importantes da capital de São Paulo.

A Prefeitura faz um teste e cogita fechar o trânsito de veículos motorizados na Av. Paulista todos os domingos. Presente no evento, o secretário de Transportes Jilmar Tatto defendeu a proposta. “A Paulista é um lugar que todos gostariam de ver sem carro no domingo”, disse Tatto.

Durante a passagem do prefeito Fernando Haddad pela ciclovia, em seu caminho para a Praça do Cliclista, ouviam-se muitos gritos de “Obrigado, prefeito” e “Eu te amo”. A quantidade de gente era tanta, que o prefeito tinha dificuldades de manter o equilíbrio sobre a bike, mesmo cercado de seu staff e seguranças (veja rápido vídeo abaixo).

Memória

Algumas horas antes da inauguração oficial, grupo de cicloativistas fez homenagem aos ciclistas mortos atropelados na via, como Juliana Ingrid Dias. A bicicleta branca que recorda o acidente de Juliana foi enfeitada com rosas brancas (veja a imagem na galeria).

A ativista Roberta Ferrari é parente de Márcia Brado, que também foi vitimada na Av. Paulista quando ainda não havia as faixas exclusivas. “Eu vejo essa inauguração como uma celebração da vida, porque a Márcia deu a vida por amor a São Paulo, porque o objetivo dela com o cicloativismo era deixar São Paulo mais humana”, disse Ferrari.

“Vamos compartilhar, que o mundo é de todos; tem espaço para todo mundo”, disse ainda, em relação à divisão do espaço no trânsito.

Alheio às comemorações, também marcou presença, nas proximidades da Praça do Ciclista, um grupo do Movimento Brasil Livre que aproveitou o momento para protestar. Com máscaras com o rosto da presidenta Dilma e faixas, os manifestantes gritavam “Fora, Dilma e Haddad” e “O PT vai afundar o Brasil”.

Informações de Daniel Lian e Brisa Dalila