CNA vence eleições na África do Sul com 62,15% dos votos

  • Por Agencia EFE
  • 10/05/2014 06h13

Johanesburgo, 10 mai (EFE).- O Congresso Nacional Africano (CNA) conseguiu uma clara vitória nas eleições gerais da última quarta-feira com 62,15% dos votos, anunciou neste sábado a Comissão Eleitoral Independente após encerrar a apuração.

A segunda força mais votada foi a Aliança Democrática (AD), que se tornou o principal partido de oposição após um crescimento de quase seis pontos percentuais e obter 22,23% dos votos.

O CNA alcança assim sua quinta maioria absoluta consecutiva no Parlamento, o que permitirá escolher o líder e atual chefe de Estado, Jacob Zuma, como presidente para os próximos cinco anos.

A grande novidade na nova câmara será a presença dos Lutadores pela Liberdade Econômica (EFF, sigla em inglês), do populista de esquerda Julius Malema, de apenas 32 anos e ex-líder das Juventudes do CNA.

Com um discurso agressivo a favor da nacionalização das minas e da reforma agrária, os EFF entram com força no parlamento com 6,35%, quando ainda não completaram um ano de fundação.

Atrás do partido de Malema ficou o partido tradicionalista da minoria zulu, Partido da Liberdade Inkhata, com 2,4% dos votos.

Além das eleições gerais, a África do Sul celebrou na quarta-feira uma votação para escolher os Parlamentos regionais de suas nove províncias.

O CNA manteve a província de Gauteng – motor econômico da África do Sul e onde se encontram Johanesburgo e Pretória – e as outras sete províncias que controlava, com maiorias próximas de 80% em regiões como Limpopo e Mpumalanga.

Por sua vez, a AD confirmou sua maioria na única província que governava, a do Cabo Ocidental (cuja capital é Cidade do Cabo), ao obter 59,3% dos votos.

Mais de 73% dos 25 milhões de cidadãos registrados para votar compareceram às urnas na quarta-feira,um dia marcado pela calma e pelo ambiente festivo, apesar de poucos distúrbios violentos ocorridos em algumas regiões do país. EFE