CNI entrega proposta para acabar com crescimento baixo do Brasil

  • Por Jovem Pan
  • 31/07/2014 10h43

A CNI (Confederação Nacional da Indústria) fez solenidade em Brasília e entregou propostas para acabar com o pífio crescimento do país nos últimos 4 anos aos candidatos à Presidência. E ao falar sobre o gás de xisto, a candidata Dilma Rousseff precisou da ajuda de universitários em questões de aritmética, geografia e meteorologia.

A Confederação Nacional da Indústria condenou a ênfase do governo Dilma na taxa de juros para conter a inflação e sugere gestão fiscal mais eficiente. O candidato Eduardo Campos prometeu, se eleito for, finalmente fazer a reforma necessária para que o Brasil deixe de ser o país dos Impostos.

O documento da CNI lamentou que a política externa do governo Dilma seja fraca na área econômica e muito fraca na diplomacia comercial. E o candidato Aécio Neves garante que vai acabar com a linha ideológica na política internacional do país que prejudicou até o agronegócio brasileiro.

O documento da Confederação Nacional da Indústria critica a insegurança jurídica do país, especialmente na área tributária. Segundo o texto, somente no ano passado, o governo Dilma confundiu o país editando mais de seis instruções normativas por dia útil.