Coalizão liderada pelos EUA mata ao menos 28 civis em aldeia da Síria

  • Por EFE
  • 29/07/2016 12h13
XYB06 ALEPO (SIRIA) 28/07/2016.- Fotografía facilitada por la Agencia de Noticias Árabe Siria (SANA) hoy, 28 de julio de 2016, que muestra a soldados gubernamentales mientras patrullan por los barrios de Al Layramoun y Bani Zein tras arrebatárselas a los rebeldes en la provincia de Alepo (Siria). Las fuerzas gubernamentales sirias arrebataron hoy a facciones islámicas amplias partes del barrio de Beni Zaid, en el norte de la ciudad de Alepo, en la mitad septentrional del país, donde el Ejército desarrolla una ofensiva contra los rebeldes. EFE/Sana Handout SÓLO USO EDITORIAL/PROHIBIDA SU VENTAExército EUA Síria

A coalizão liderada pelos EUA, que pretendia atacar militantes do Estado Islâmico, atingiu a aldeia de al-Ghandour ao norte da Síria na noite de quinta-feira e matou ao menos 28 civis, incluindo sete crianças, disse o Observatório Sírio de Direitos Humanos. 

O chefe do Observatório, Rami Adurrahman, disse que algumas das pessoas mortas ainda não foram identificadas e não sabem se pertencem ao Estado Islâmico. Al-Ghandour fica a 24 quilômetros a noroeste da cidade de Manbij, uma região importante do grupo extremista e uma rota de abastecimento para a cidade de Raqqa. 

A coalizão internacional não quis comentar sobre os números de mortes relatado pelo Observatório. Os atentados ocorreram uma semana após ataques aéreos, também responsabilizado por ativistas sírios de serem aeronaves dos EUA, ter matado ao menos 56 civis em território em poder do Estado Islâmico no norte da Síria.