Colômbia é o 2º país do mundo com mais crianças vítimas de minas terrestres

  • Por Agencia EFE
  • 27/11/2014 19h09

Bogotá, 27 nov (EFE).- A Colômbia é o segundo país do mundo com mais crianças vítimas de minas terrestres – 57 em 2013 -, só superada pelos 487 casos registrados no Afeganistão no período, segundo antecipou nesta quinta-feira a ONG Campanha Colombiana Contra Minas (CCCM), que publicará o levantamento completo em dezembro.

Os dados compõem o relatório “O impacto das minas terrestres e os explosivos de guerra remanescentes sobre os menores de idade”, elaborado de forma anual para uma campanha internacional que procura acabar com o problema.

Segundo o documento, os cinco países mais afetados por esse tipo de artefato explosivo são, além dos dois citados, a Síria (50), Paquistão (45) e Iêmen (40), respectivamente.

No mundo todo foram 1.112 crianças vítimas de minas terrestres, bombas improvisadas, munições remanescentes e outros restos de explosivos de guerra – 33 delas morreram.

Os dados mostram um aumento de 39% no número de afetados em relação a 2012, o maior crescimento desde que o início do levantamento. Do total, 84% são meninos e 16% meninas.

Segundo os dados, os principais desafios em nível mundial são a assistência integral às vítimas, incluindo a garantia de que as crianças completem seus estudos, fora a sensibilização da população para o problema.

Considerados também os adultos, foram 2.403 casos registrados em nível global em 2013, o que aponta que quase metade de todas as vítimas civis são menores de idade (46%).

O Afeganistão segue na liderança do ranking se contabilizadas todas as vítimas – crianças e adultos – com 1.024 casos. O Paquistão sobe para segundo, com 175. A Colômbia e a Síria ocupam o terceiro lugar, com 133, e a Somália em quinto, com 65. EFE