Com programa questionado pelo TCE, Alckmin defende Detecta

  • Por Estadão Conteúdo
  • 15/08/2016 13h24
São Paulo - O governador Geraldo Alckmin fala sobre acordos de cooperação técnica para as ações de segurança e defesa nacional durante as Olimpíadas e passagem da tocha olímpica pelo estado de São Paulo (Rovena Rosa/Agência Brasil)Geraldo Alckmin

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), defendeu, nesta segunda-feira, 15, o programa Detecta, sistema eletrônico criado para permitir o uso de imagens de câmeras pela Secretaria Estadual da Segurança Pública (SSP), que foi questionado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). Segundo relatório do órgão, o sistema ainda não é capaz de analisar crimes filmados dois anos após a implantação.

Questionado sobre o relatório, Alckmin defendeu o rendimento do sistema. “Nós tivemos na Operação Verão um trabalho importantíssimo do Detecta, com vídeo-monitoramento, câmeras de integração, softwares inteligentes. Nesta semana mesmo, elucidamos um crime em Itaquaquecetuba através do Detecta”, afirmou.

No relatório, técnicos do TCE afirmam que há conflitos entre sistemas operacionais, falta de infraestrutura e treinamento para que de fato se substituam agentes no monitoramento 24 horas de imagens de segurança. Também dizem que a ferramenta “vídeo analítico” não está disponível, apesar de o governo informar que esse monitoramento já é uma realidade.

Os técnicos ficaram 15 meses investigando esse projeto – por meio da análise de documentos, entrevistas com policiais e vistorias in loco em centros de comando, delegacias e batalhões.

Segundo o TCE, apenas 17 câmeras de vigilância em todo o Estado têm a função de análise de imagens ativas – e o sistema só faz é relatar ações mais simples: pedestre na via, moto parada entre carros parados e automóvel parado no acostamento em via expressa

Já o governador de São Paulo afirmou que a ampliação do sistema não para. “Vamos integrar mais 900 câmeras de vídeo da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego). É um trabalho permanente de ampliar e integrar câmeras de vídeos de rodovias, prefeituras, bancos, iniciativa privada. Ter um bando de dados, ter software inteligente para você ter os alarmes”.