Combater crimes contra o patrimônio é prioridade do governo paulista

  • Por Jovem Pan
  • 06/01/2014 09h31

Dados divulgados pela Secretaria da Segurança Pública mostram que em todos os meses do segundo semestre de 2013 houve uma diminuição no número de assassinatos. Com essa baixa nos homicídios, o governo paulista decidiu combater com prioridade agora os crimes contra o patrimônio, que trazem a sensação de insegurança para a população.

Além disso, em vários casos, principalmente de roubos de veículos, a vítima é assassinada mesmo sem reagir. O comandante da Polícia Militar, Coronel Benedito Roberto Meira, explica ao repórter Thiago Samora a preocupação com os crimes contra o patrimônio.

“O latrocínio é um roubo não bem sucedido, onde o criminoso tinha intenção de subtrair o objeto e acabou tendo que matar a vítima para conseguir o seu intento. Então o latrocínio está inserido nesse contexto como um todo”, afirma o Coronel.

O presidente do Sindicato dos Delegados, George Melão, diz que as medidas do governo paulista para combater a alta dos crimes contra o patrimônio não são suficentes. Melão ressalta que apenas com o aumento da presença policial nas ruas os índices de criminalidade vão baixar.

No ano passado mais de 340 pessoas morreram durante assaltos no estado de São Paulo. Na capital, a elucidação deste tipo de crime ocorre em menos de 50% dos casos.