Combates no Líbano deixam pelo menos 7 soldados e 35 jihadistas mortos

  • Por Agencia EFE
  • 24/01/2015 08h48

Beirute, 24 jan (EFE).- Pelo menos sete soldados libaneses e 35 combatentes jiahdistas morreram nos combates de sexta-feira, que ocorreram depois de um ataque a um posto de controle militar na zona de Ras Baalbeck, fronteiriça com a Síria, informou neste sábado à Agência Efe uma fonte de segurança.

Além disso, dez soldados libaneses e dezenas de jihadistas ficaram feridos, acrescentou a fonte.

Dois corpos dos militares libaneses foram achados em Ras Baalbeck, onde ontem houve enfrentamentos entre o Exército e cerca de 200 jihadistas que tinham se introduzido desde a Síria nesta região.

Os choques ocorreram após um ataque, horas antes, dos extremistas contra um posto das forças armadas em Tallat el Hamra, na mesma zona.

Entre os radicais mortos está um comandante militar do grupo Estado Islâmico (EI), Al Ahwazi, e outros dois responsáveis desse grupo terrorista, Ghayath Jomaa e Abu al Walid al Ansari, indicou a fonte de segurança.

O Exército libanês continua com as operações nessa área conflituosa, que é um ponto estratégico que domina os arredores de Arsal, uma região limítrofe com a Síria.

Em agosto, o grupo Estado Islâmico e a Frente al Nusra -filial da Al Qaeda na Síria-, junto a outros movimentos extremistas, mantiveram um enfrentamento com o Exército libanês na região de Arsal e capturaram 30 soldados como reféns, dos quais 25 seguem com vida.

Desde o início da revolta na Síria em março do 2011, a situação de segurança no Líbano se deteriorou, sobretudo no norte e nordeste do país, e aumentou a divisão da população entre partidários e adversários do presidente sírio, Bashar al Assad. EFE