Comissão uruguaia busca investimentos internacionais em Nova York

  • Por Agencia EFE
  • 20/02/2014 15h42

Nova York, 20 fev (EFE).- O governo do Uruguai apresentou seus atrativos nesta quinta-feira em Nova York em busca de investimentos internacionais, especialmente em serviços globais, um setor no qual as exportações se quadruplicaram nos últimos quatro anos.

O ministro de Economia uruguaio, Mario Bergara, e o secretário-executivo da Comissão Interministerial para Assuntos de Comércio Exterior, Álvaro Ons, explicaram aos investidores e empresas todo o processo de transformação da economia nacional no última década.

“O Uruguai oferece uma plataforma para fazer negócios em nível global”, afirmou o ministro, que ressaltou o contínuo crescimento da economia e a melhora da produtividade, um aspecto no qual o país figura entre os mais destacados pelo Fundo Monetário Internacional (FMI).

De acordo com Bergara, Uruguai e Chile são os países latino-americanos que estão melhores colocados nos índices internacionais de estabilidade institucional, corrupção e respeito às regras do jogo.

O ministro uruguaio também lembrou que o país diversificou sua economia desde a crise financeira de 2002 e que, agora, depende muito menos da vizinha Argentina (que, em 2001, recebia 25% das exportações uruguaias), já que o principal parceiro comercial do país é a China.

Estados Unidos é, por sua parte, o principal mercado de exportação de serviços não tradicionais (35% do total) e de serviços de tecnologia da informação (26%).

Ons, por sua parte, explicou como a economia uruguaia, apesar de seguir exportando produtos agrícolas (soja e carne bovina principalmente), se transformou com uma menor produção de produtos têxteis d couros, por exemplo, e um maior peso dos serviços globais, como engenharia, design, consultoria, programação, informática e pesquisa.

Companhias de todos os continentes se instalaram no Uruguai para aproveitar as vantagens das zonas francas, do desenvolvimento das telecomunicações e do elevado nível educacional da população.

“Nossa estratégia se baseia mais na qualificação para empregos bem remunerados, não em exportar baixos salários”, afirmou Bergara.

Após o encontro citado, o titular de Economia e Finanças do Uruguai também estava escalado para uma conferência sobre a economia do Uruguai a convite da Stern School of Business da Universidade de Nova York.

Bergara iniciou sua visita em Nova York na última terça-feira com uma conferência na Universidade de Colúmbia e, ontem, participou de um café da manhã de trabalho organizado pelo Conselho das Américas com empresários interessados em investir no país.

Além disso, junto com o chanceler Luis Almagro, Bergara participou do fim da sessão da Bolsa de Nova York (NYSE) em Wall Street, ambos convidados pela Navios, a companhia uruguaia que opera o maior terminal portuário independente de carga a granel do país. EFE

rcf/fk