Confira as opções para amortizar dívida de financiamento imobiliário

  • Por Jovem Pan
  • 16/09/2014 18h18
Prédios

Pergunta da Ouvinte Mônica: Gostaria de uma orientação quanto à amortização de um crédito imobiliário. Fiz algumas simulações com os valores apresentados e não consigo chegar ao saldo devedor apresentado:

  • Prestação atual: 09 de 46
  • Valor da amortização: R$ 1553,67
  • Juros : R$ 571,65
  • Seguros: R$ 99,00
  • TSA: R$ 25,00
  • Valor da prestação atual: R$ 2249,32
  • Saldo devedor calculado pelo banco: R$ 67.494,93

Multiplicando o valor de amortização por 38, mesmo com seguro e TSA, que acho que não deveriam ser cobrados, chego ao valor de 63.751,46, ainda mais baixo que o apresentado.

Denise Campos de Toledo: Fui pedir ajuda para um especialista, o professor José Dutra Vieira Sobrinho, professor de matemática financeira. Ele deduziu que a taxa de juros dela é de 10,4% ao ano e ela está num sistema de amortização pela tabela Price, que tem prestações iguais. E ele chegou exatamente a esse valor.

Agora, um detalhe para todo mundo que quiser amortizar, seguros e TSA não entram no cálculo do saldo devedor, tem que pagar mesmo, não adianta reclamar. É uma coisa que deve ser observada até no contrato.

O valor é exatamente esse, mas ela deve ter pago uma parcela a mais. E, na hora de fazer as contas, ele falava que pagou a parcela número 9, então, na verdade, faltaria ainda uma parcela a mais, por isso que daria a diferença do saldo devedor.

Não tem o que a Mônica reclamar, a não ser que a taxa de juros seja outra.

Você muitas vezes pode amortizar não só o saldo devedor, mas também o número de parcelas para encurtar, acabar com esse processo. Você vai diminuindo lá do final (da data do financiamento), aí você vai vendo que está devendo menos.

É uma alternativa, você pode usar o Fundo de Garantia, dependendo do valor do imóvel e se você só tem esse imóvel financiado.

Você pode também usar o fundo de garantia para reduzir o valor da parcela por um ano. Às vezes você pode descontar até 60% da parcela.

É um processo meio maluco: você tem que pedir um extrato para a Caixa Econômica para provar que você tem um fundo de garantia, sendo que é a Caixa que administra. É algo que eu nunca consegui entender. É uma burocracia ridícula.

Você tem várias alternativas, inclusive para não atrasar o pagamento das parcelas.