Congresso do Peru arquiva definitivamente projeto de união civil gay

  • Por Agencia EFE
  • 14/04/2015 21h51

Lima, 14 abr (EFE).- A comissão de Justiça do Congresso do Peru arquivou nesta terça-feira de maneira definitiva o projeto de União Civil entre pessoas do mesmo sexo, que já tinha sido sido barrado em março, informou hoje o presidente da comissão, Juan Carlos Eguren.

O legislador indicou, em mensagem em sua conta no Twitter, que um pedido de consideração apresentado pelo congressista Mauricio Mulder só recebeu dois votos favoráveis.

“Por grande maioria a Comissão de Justiça rejeitou o pedido de reconsideração sobre a União Civil, que só obteve dois votos a favor”, assinalou Eguren.

O projeto de União Civil propunha considerar como parentes os casais do mesmo sexo, com direitos patrimoniais, mas não contemplava a adoção de crianças.

Após esta decisão o projeto será definitivamente arquivado e, de acordo com a lei peruana, qualquer iniciativa semelhante só poderá ser apresentada daqui a um ano.

Milhares de pessoas, a maioria membros de coletivos de gays, lésbicas e transexuais, participaram no fim de semana na segunda manifestação pela Igualdade, que percorreu Lima para exigir das autoridades igualdade de direitos com os heterossexuais.

Participaram da convocação o congressista Carlos Bruce, promotor do projeto de união civil entre homossexuais, e conhecidos artistas e políticos locais.

Bruce afirmou nesse momento à Efe que “os conservadores negaram aos gays e as lésbicas os direitos que todos os outros têm e continua a existir uma situação de injustiça”.

O legislador anunciou que os coletivos gays continuarão a protestar “todas às vezes em que for necessário, até que todos sejamos considerados livres e iguais, assim como estabelece nossa Constituição.”

“Isso despertou toda uma comunidade que, como vemos, tem todas as cores e é de todas as classes sociais, protestando aqui para que o Peru seja uma sociedade igualitária”, concluiu. EFE