Conscientização é lado positivo da crise, diz coordenadora da SOS Mata Atlântica

  • Por Jovem Pan
  • 20/03/2015 15h26

O repórter Jovem Pan Tiago Muniz retrata vista da Represa JaguariNível do sistema Cantareira sobe para 9

Às vésperas do Dia Mundial da Água (22), a coordenadora da fundação SOS Mata Atlântica, Malu Ribeiro, disse ao Jornal Jovem Pan desta sexta-feira (20) que a crise hídrica que a região Sudeste enfrenta tem como lado positivo a formação de uma nova consciência na população. “[A crise] Veio para mostrar que aquela nossa falsa ideia de abundância de que o Brasil é o país que mais detém água doce do planeta. Não é mais assim, porque a água que temos disponível, principalmente em São Paulo, está poluída”, aponta.

Para Malu, o governo não apostou tanto na questão nos últimos tempos por alta de pressão pública. “Por falta de conhecimento [a população] deixou de fazer pressão”, e completa, “infelizmente nos temos que pressionar porque quem tem que colocar essas discussões na agenda pública são os políticos”.

Em São Paulo, a economia de água tem se mostrado significativa: mais de 80% da população diminuiu o consumo. No entanto, de acordo com Malu Ribeiro quem tem o menor controle são os condomínios porque “quando não tem a medição individual é mais complicado, não dá pra saber quando você gasta”, explica a coordenadora.

As chuvas acima da média têm ajudado na recuperação dos principais sistemas, porém, a situação ainda está longe afastar a crise hídrica.