Conselho de Segurança da ONU condena lançamento de mísseis norte-coreanos

  • Por Agencia EFE
  • 28/03/2014 05h43

Washington, 27 mar (EFE).- O Conselho de Segurança das Nações Unidas condenou nesta quinta-feira por unanimidade o lançamento de dois mísseis de médio alcance pela Coreia do Norte na quarta-feira, o primeiro desse tipo em cinco anos e uma ação que viola as resoluções dessa organização internacional.

“Os membros do Conselho de Segurança condenaram o lançamento como uma violação de suas resoluções e concordaram em fazer consultas para oferecer uma resposta apropriada”, disse a embaixadora de Luxemburgo nas Nações Unidas, Sylvie Lucas, que preside o Conselho durante o mês de março.

Sylvie fez essas declarações aos jornalistas após a reunião, a portas fechadas, do Conselho de Segurança realizada na tarde desta quinta-feira.

“Houve uma condenação unânime dos lançamentos e estipulamos também que a resposta deve ser dada rapidamente”, detalhou.

A reunião dos 15 membros do Conselho de Segurança foi convocada a pedido dos Estados Unidos, cujo Departamento de Estado considerou os lançamentos norte-coreanos como uma “escalada provocadora”.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, disse também na quarta-feira que está “cada vez mais preocupado” com as sucessivas informações sobre o disparo de mísseis por parte da Coreia do Norte.

O lançamento dos mísseis de médio alcance é o primeiro desse tipo em cinco anos e chega após os testes com dezenas de foguetes de curto alcance feitos nas últimas semanas.

O uso da tecnologia de mísseis balísticos por parte da Coreia do Norte é uma violação das resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas.

Durante as últimas quatro semanas, Pyongyang realizou até seis testes de mísseis, todas eles com projéteis de curto alcance que correspondem ao projeto soviético FROG (acrônimo com o qual a Otan designou esta série de mísseis).

Os testes de mísseis são considerados um protesto pelas manobras que Coreia do Sul e Estados Unidos realizam no sul da península até o próximo 18 de abril, e que Pyongyang denuncia como um “ensaio” para invadir seu território.

Este último lançamento ocorreu um dia depois da reunião dos líderes de Estados Unidos, Japão e Coreia do Sul em Haia, na Holanda, no marco da Cúpula de Segurança Nuclear. EFE