Coreia do Norte se sente “orgulhosa” de seus progressos em direitos humanos

  • Por Agencia EFE
  • 04/05/2014 22h58

Genebra, 1 mai (EFE).- A Coreia do Norte afirmou nesta quinta-feira ao Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas que se sente “orgulhosa” dos progressos realizados a respeito e acusou “forças estrangeiras” de dificultar os esforços realizados pelo governo para melhorar a vida de seus cidadãos.

Pyongyang informou sobre o Exame Periódico Universal (EPU), uma avaliação sobre o cumprimento que um país faz de suas obrigações a respeito dos direitos humanos no qual se analisam os aspectos positivos e se identificam os desafios e ao que estão submetidos todos os países-membros das Nações Unidas.

Esta é a segunda vez que a Coreia do Norte se submete ao EPU desde que este sistema se estabeleceu, por isso que se esperava que Pyongyang detalhasse os progressos efetuados desde a anterior avaliação e explicasse a aplicação das recomendações formuladas na sessão precedente.

O embaixador norte-coreano na ONU em Genebra, Se Pyong So, disse que as autoridades de Pyongyang se “sentem orgulhosas do progresso alcançado durante os últimos quatro anos, nos quais superaram todos os tipos de obstáculos e desafios para proteger e promover os direitos humanos”. EFE