Criação de emprego é foco de cúpula de ministros de Trabalho do G20

  • Por Agencia EFE
  • 10/09/2014 04h23

Sydney (Austrália), 10 set (EFE).- Os ministros de Emprego e Trabalho dos países que formam o Grupo dos Vinte (G20) iniciaram nesta quarta-feira em Melbourne uma cúpula de dois dias centrada em buscar fórmulas que aumentem o crescimento econômico e a criação de empregos.

“A prevenção do desemprego estrutural, a criação de empregos de qualidade e o aumento da participação laboral” são alguns dos temas centrais da reunião, assinalou no discurso de abertura o ministro de Emprego da Austrália, Eric Abetz.

Durante a cúpula serão revisados os diferentes programas dos países-membros e se buscarão fórmulas para abordar os problemas do desemprego em curto prazo com o objetivo de “continuar com a ação internacional para impulsionar o crescimento econômico e o emprego”.

Apesar de começarem a ser vistos alguns resultados das reformas aplicadas por causa da crise financeira mundial, a recuperação ainda não é generalizada e a criação de empregos não é forte, sustentável e de acordo com o crescimento econômico, ressaltou Abetz.

Um relatório apresentado ontem pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômicos (OCDE) e o Banco Mundial (BM) alertou que “apesar de algumas melhoras recentes, a brecha laboral se manterá de forma significativa em várias economias do G20 até pelo menos 2018”.

O documento reforçou a importância de que a meta de crescimento mundial de 2%, definida pelo G20 para este ano, deve ser acompanhada da criação de empregos de qualidade e de proteção social e laboral.

Segundo o anfitrião da reunião, estes problemas se devem à informalidade dos mercados trabalhistas, a necessidade da inclusão das mulheres e dos jovens e a luta contra o trabalho infantil, entre outros.

Abetz insistiu na importância do fortalecimento do setor empresarial, por considerar que é o pilar para a criação de empregos.

O G20, que representa 85% da atividade econômica global e dois terços da população do planeta, traçou em fevereiro a meta de conseguir um crescimento mundial de 2% nos próximos cinco anos acima das previsões.

A cúpula de Emprego serve como reunião preparatória à reunião de chefes de governo e de Estado do G20 que acontecerá em novembro na cidade australiana de Brisbane.

O G20 é formado por União Europeia, G7 (Estados Unidos, Canadá, Japão, Alemanha, Reino Unido, Itália e França), Brasil, Arábia Saudita, Argentina, Austrália, China, Coreia do Sul, Índia, Indonésia, México, Rússia, África do Sul e Turquia. EFE

watt/cd