Criadores uruguaios criticam Mercosul, e pedem abertura ao mercado dos EUA

  • Por Agencia EFE
  • 13/09/2014 19h35

Montevidéu, 13 set (EFE).- Os criadores de gado do Uruguai afirmaram neste sábado que o Mercosul “não funciona”, reivindicaram ao governo “acordos bilaterais” fora da região e pediram a abertura do mercado dos Estados Unidos às exportações uruguaias de carne ovina com osso.

As reivindicações foram parte do discurso de encerramento da Expo Prado 2014: 109ª Exposição Internacional de Pecuária e Mostra Agro Industrial e Comercial, pronunciado pelo presidente da Associação Rural do Uruguai (ARU), Ruben Echeverría.

Com a presença de José Mujica e boa parte de seus ministros, o titular da ARU afirmou que o Mercosul, bloco regional formado por Argentina, Brasil, Paraguai, Venezuela e Uruguai, “não funciona” e que conseguiu apenas acordos de preferência comercial “pouco ambiciosos”.

As “divergências” dentro do bloco fazem “inviáveis” os acordos comerciais fora da região, que “são necessários” para seguir crescendo, acrescentou Echeverría.

Além disso, diante da embaixadora dos Estados Unidos em Montevidéu, Julissa Reynoso, que também participou da cerimônia, o líder pediu para que “sejam acelerados” os trâmites para a abertura do mercado americano às exportações uruguaias de carne ovina com osso.

Após denunciar tarifas “caras” e “muitos trâmites burocráticos”, Echeverría reivindicou ao governo uma “melhor taxa de câmbio” para “favorecer as exportações”.

O presidente da ARU também advertiu que o déficit fiscal de 3,4% do produto interno bruto (PIB) “ameaça o futuro” do Uruguai.

De acordo com números oficiais, o setor agropecuário gera 35% do PIB do Uruguai e 75% do total de exportações do país.

EFE