Cruz Vermelha entrega ajuda para 30 mil pessoas em Awerial, no Sudão do Sul

  • Por Agencia EFE
  • 01/01/2014 08h59

Genebra, 1 jan (EFE).- O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) distribuiu ajuda humanitária para 30 mil pessoas deslocadas em Awerial, uma região situada no centro do Sudão do Sul, que fogem principalmente da violência no estado de Jonglei, do outro lado do rio Nilo.

Trata-se da maior concentração de deslocados em todo o país, pessoas com necessidades humanitárias “urgentes”, à medida que chega mais gente a cada dia, informou em comunicado o CICV, que está distribuindo entre eles ajuda para cobrir as necessidades básicas de alimento e refúgio.

“A estrada que vai para o rio é uma fila indiana de milhares de pessoas, com outras esperando que cheguem embarcações para poder atravessar para o outro lado”, disse, de Awerial, o vice-presidente da delegação do CICV no país, François Moreillon.

No marco desta operação, a Cruz Vermelha fornecerá a 30 mil pessoas artigos básicos como cobertores, toldos, artigos de cozinha, vasilhas de combustível e comida suficiente para duas semanas.

Além disso, estão sendo distribuídos 16 mil equipamentos de pesca entre os moradores de Awerial, afetados pela falta de recursos como resultado da chegada contínua de deslocados.

“Estamos explorando novas maneiras de ajudar os afetados, perante a previsível chegada de milhares de pessoas nos próximos dias”, disse Moreillon.

A Cruz Vermelha também pediu às partes em conflito que facilitem a entrada de ajuda humanitária e que tomem as medidas para evitar mortes de civis.

A organização informou que centenas de civis foram feridos nos episódios de violência desde o dia 15 de dezembro e lembrou que estas pessoas têm direito a atendimento médico, e que o pessoal médico deve poder atendê-los em condições de segurança.

Desde o início do conflito, o CICV posicionou três equipes cirúrgicas nos hospitais de Juba, Malakal e Bentiu para prestar atendimento de urgência aos feridos, além de provê-los com material médico e remédios para tratar cerca de 500 pessoas em Juba, 250 em Bentiu e mais de uma centena em Malakal.

Além disso, distribuiu toldos para 6.000 pessoas deslocadas no campo de Juba, tendas para 7.200 e ajudou famílias separadas pelo conflito a restabelecer contato. EFE