Cruz Vermelha reparte com dificuldade ajuda que chega em Katmandu

  • Por Agencia EFE
  • 28/04/2015 05h32

Katmandu, 28 abr (EFE).- A Cruz Vermelha (CV) está tentando distribuir pacotes de ajuda a 20 mil famílias em Katmandu, mas enfrenta dificuldades por causa da situação em que a cidade se encontra após o terremoto que devastou o Nepal no último sábado.

O representante do órgão no país, Rajendra Rokaha, disse à Agência Efe que a repartição do auxílio está sendo realizada nos 11 distritos mais afetados da capital, onde mais de 1.000 pessoas morreram devido ao tremor de magnitude 7,8.

Segundo o último balanço oficial divulgado pelas autoridades, o total de mortos chega a 4.349 e o de feridos a 8.517. Por enquanto, não há informações sobre a quantidade de desaparecidos na tragédia.

O pacote de ajuda distribuído pela Cruz Vermelha inclui uma pequena barraca e cobertores, elementos necessários para dar abrigo às milhares de pessoas que se encontram nas ruas da capital porque perderam suas casas ou por medo de novos desabamentos.

Vários acampamentos foram montados em Katmandu pelo governo que, no entanto, não é capaz de fornecer barracas a todos os desabrigados, que improvisam usando roupas e cobertores amarrados.

Rokaha indicou que a Cruz Vermelha está trabalhando com as autoridades locais para tentar atender ao maior número de pessoas possível. Ontem, a ONG lançou uma campanha de doação para fornecer auxílio a 75 mil desabrigados, solicitando doações de 32,3 milhões de euros (cerca de R$ 102 milhões).

O terremoto de sábado foi o de maior magnitude registrado no Nepal em quase 80 anos, além de ter sido o pior que atingiu a região desde 2005, quando um tremor matou mais de 84 mil pessoas na Caxemira, na vizinha Índia. EFE