Cuba suspende serviços consulares nos EUA por estar sem entidade financeira

  • Por Agencia EFE
  • 14/02/2014 20h02

Washington, 14 fev (EFE).- O Escritório de Interesses de Cuba em Washington anunciou nesta sexta-feira que se viu obrigado a suspender os serviços consulares nos Estados Unidos por não conseguir encontrar um banco com o qual possa operar no país por causa das restrições do embargo econômico e comercial à ilha.

Em comunicado, a missão diplomática de Havana em Washington informou que tanto o Escritório de Interesses como a missão permanente de Cuba na ONU perderam a capacidade de realizar depósitos em sua entidade financeira, o banco M&T, e a partir de 1º março ficarão sem conta bancária.

O banco decidiu em novembro rescindir os serviços que prestava ao Escritório de Interesses mas, depois que Cuba se viu obrigada a suspender durante duas semanas o atendimento consular, decidiu prorrogar o prazo para o encerramento dos serviços às duas missões diplomáticas.

“Apesar dos ingentes esforços realizados, devido as restrições vigentes derivadas da política de bloqueio econômico, comercial e financeiro do governo americano contra Cuba, foi impossível para a Escritório de Interesses encontrar um banco com sede nos Estados Unidos que assuma as contas bancárias das missões diplomáticas cubanas”, explicou a missão.

“Por esta razão, a Escritório de Interesses de Cuba se vê obrigado a suspender os serviços consulares na data de publicação da presente nota, até que se restabeleçam os serviços bancários”, acrescentou.

A partir de hoje, portanto, na missão “só atenderá aqueles casos com caráter humanitário e deixará de realizar os trâmites associados à emissão de passaportes, vistos, legalização de documentos e outros serviços.

“A Seção lamenta os inconvenientes que esta situação causará aos cidadãos cubanos e americanos que precisam dos serviços de nossos escritórios, com as consequências negativas que terá para as visitas familiares, os intercâmbios acadêmicos, culturais, educacionais, científicos, esportivos e de outra natureza entre Cuba e Estados Unidos”, concluiu a nota.

Uma porta-voz do Departamento de Estado de EUA, Marie Harf, confirmou que o banco “interromperá seus serviços” às missões cubanas e reiterou que, desde o meio do ano passado o governo americano acompanhou Cuba no assunto e teria contatado “mais de 50 bancos” para encontrar um substituto ao M&T.

“Entendemos que vários bancos estão estudando a possibilidade (de oferecer os serviços às missões), mas não sabemos se poderão ter um novo banco antes de 1º de março”, adiantou Harf.

Segundo fontes ligadas à missão cubana, a decisão do banco M&T de suspender seus serviços é algo que decidiram fazer com “várias missões diplomáticas” e o problema para Cuba apareceu na hora de encontrar outro banco que esteja disposto a prestar os serviços enquanto vigorar o embargo financeiro à ilha. EFE