Cupido se reinventa para flechar apaixonados

  • Por Agencia EFE
  • 13/02/2015 17h11

Bogotá, 13 fev (EFE).- O cupido já está com suas flechas a postos para o Dia de São Valentim, a data em latinos, europeus e norte-americanos celebram o amor e que a cada ano que passa apresenta novas formas de agradar a cara metade.

Na América Latina a comemoração do dia 14 de fevereiro não tem o mesmo peso que nos Estados Unidos e na Europa e é acima de tudo aproveitada comercialmente, mas aos poucos vão surgindo algumas iniciativas originais.

Em países como Equador, Colômbia e Guatemala, o Dia de São Valentim é importante para o comercio de flores, sobretudo as clássicas rosas vermelhas. A data no quesito vendagem perde apenas para o Natal e o Dia da Mãe.

A exportação de rosas guatemaltecas aos Estados Unidos e à América Central, os dois principais mercados deste segmento, chega a triplicar para dia do padroeiro dos apaixonados, um mártir romano do século III. Se em um mês normal são vendidas 200 mil rosas, no Dia do Amor são comercializadas até 600 mil, informou à Agência Efe a gerente da Comissão de Plantas Ornamentais da Associação Guatemalteca de Exportadores (Agexport), Brigitte Obrockla.

Na indústria colombiana o movimento não é diferente. Para o Dia de São Valentim o país exporta 500 milhões de flores, 75% delas com destino aos EUA.

No Equador, outro grande exportador do setor, neste ano o São Valentim foi celebrado antecipadamente com o casamento de 22 casais que deram o “sim” perante o prefeito de Guayaquil, Jaime Nebot.

Outros que se decidiram este ano por um casamento em grande escala foram os nicaraguenses. Em uma cerimônia conjunta, 386 casais se uniram em um casamento civil gratuito, em Manágua, promovido por uma emissora de rádio.

No entanto, as uniões comunitárias já não exclusividades dos humanos. No Peru foi convocada através das redes sociais o “Pet Valentim”, um casamento e espetáculo para cachorros na Pérgola do Olivar, em São Isidro.

Com um chamativo anúncio, que dizia “Não perca neste sábado casamento e show de animais de estimação, sorteios, prêmios e muito mais”, os organizadores prometem dar outro toque ao “dia do amor”.

Na Guatemala, São Valentim também dá trabalho aos arrecadadores de impostos. A Superintendência da Administração Tributária (SAT) do país anunciou esta semana um reforço de seu plano de arrecadação tributária em hotéis, motéis e outros estabelecimentos destinados a receber casais. O superintendente e chefe da SAT, Omar Franco, pediu aos guatemaltecos para exigirem a nota fiscal no momento em que utilizarem algum desses serviços, muito procurados no dia 14 de fevereiro.

Em Cuba, Antonio Guerrero, um dos três agentes libertados em dezembro do ano passado como parte do acordo entre Havana e Washington para restabelecer as relações diplomáticas, fez um “presente especial”, conforme suas palavras, a todos os cubanos pelo Dia dos Apaixonados. Guerrero vai apresentar na Feira do Livro, que começa hoje em Havana, um disco com versões musicais e declamações dos poemas de amor que escreveu durante os anos que esteve preso nos Estados Unidos. EFE