Cúpula da arquidiocese de Minneapolis (EUA) renuncia por casos de pedofilia

  • Por Agencia EFE
  • 15/06/2015 15h47

Washington, 15 jun (EFE).- O arcebispo de Minneapolis, John Nienstedt, e um bispo assistente renunciaram nesta segunda-feira após a divulgação de um relatório da procuradoria de Minnesota, nos Estados Unidos, que acusava à arquidiocese de ignorar e tramitar de maneira inadequada queixas de casos de pedofilia.

Nienstedt e o bispo Lee Piché renunciaram, assumindo responsabilidades pela acusação, apesar de não terem sido assinalados individualmente pela procuradoria.

No início deste mês, procuradores do estado de Minnesota acusaram à arquidiocese de Minneapolis e Saint Paul pela má gestão das denúncias de pedofilia por parte do clero sob sua responsabilidade.

Os procuradores asseguraram que as autoridades eclesiásticas na arquidiocese deram as costas aos repetidos relatórios de abusos sexuais no caso de dois párocos, que foram condenados por abusar de dois menores.

Em comunicado, Nienstedt explicou que renunciou “para permitir um novo começo na arquidiocese no meio dos muitos desafios que estão enfrentando”.

“Minha liderança desviou, infelizmente, a atenção das boas obras da Igreja e daqueles que a guiam”, acrescentou o arcebispo.

O papa Francisco aceitou a renúncia, segundo explicou o arcebispo em seu comunicado de renúncia.

A renúncia acontece cinco dias depois que o papa aprovou a criação de um tribunal para julgar os bispos que ocultem casos de pedofilia de membros da Igreja. EFE