Cúpula talibã rejeita novo líder e anuncia nova eleição

  • Por Agencia EFE
  • 03/08/2015 14h00

Cabul, 3 ago (EFE).- O Conselho Supremo dos talibãs rejeitou nesta segunda-feira a nomeação do novo líder do grupo, o mulá Ajtar Mansur, por considerar que foi escolhido “por uma minoria” e anunciou uma reunião em massa para eleger um chefe de forma democrática, segundo um comunicado atribuído por meios de comunicação locais à cúpula insurgente.

“Sua nomeação foi feita na presença de pouca gente com base em interesses pessoais”, indicou a cúpula talibã em sua nota, distribuída aos meios de comunicação afegãos e à qual a Agência Efe teve acesso, e acrescentou que Mansur foi “imposto” como novo chefe da formação.

O Conselho ou Shura criticou que esta eleição não democrática vai contra os princípios do islã e pediu que o povo não se deixe “enganar pelos inimigos” e que não jurem lealdade a nenhum líder enquanto durar o período de luto pela morte do fundador do grupo, o mulá Omar.

O governo afegão anunciou na quarta-feira o falecimento do mulá Omar em um hospital de Karachi (sul do Paquistão) em abril de 2013 e os talibãs confirmaram a morte no dia seguinte, embora tenham afirmado que ocorreu no Afeganistão e não proporcionaram uma data.

Os talibãs anunciaram na sexta-feira a nomeação do novo líder.

Em sua primeiro mensagem aos talibãs, Mansur chamou no sábado à unidade de suas fileiras, depois que proliferaram nos últimos dias conjeturas sobre divisões entre as diversas facções para aceitá-lo como sucessor do mulá Omar. EFE