Demanda por crédito dimunui entre classes baixas em março

  • Por Agencia EFE
  • 14/04/2014 14h04

Rio de Janeiro, 14 abr (EFE).- A demanda por crédito das classes baixas diminuiu 25,1% em março, em comparação com o mesmo mês de 2012, em plena escalada de taxas de juros, informou nesta segunda-feira a empresa de análise de crédito Serasa.

A queda da demanda por crédito do conjunto do mercado foi de 7,5% em março e acumula um descenso de 3,2% no primeiro trimestre do ano, segundo um relatório divulgado hoje pelo Serasa.

As classes mais pobres, com renda de até R$ 500 por pessoa, reduziram sua demanda por crédito 25,1% em março e 7,6% no acumulado do ano.

A demanda por crédito também diminuiu nas classes endinheiradas, com uma baixa da ordem de 13% entre os brasileiros com ingressos de entre R$ 5 mil e 10 mil, e de 13,7% entre os que têm uma renda maior.

O Banco Central elevou a taxa de juros oficial até 11% anual de forma paulatina em suas últimas nove reuniões para frear a inflação, que em março chegou a 6,15% anualizada.

Para as pessoas físicas, a taxa média de juros chegou a 27,2% anual em fevereiro, com uma elevação de 2,3 pontos percentuais nos últimos 12 meses, segundo os dados mais recentes do Banco Central.

As taxas reais que a população paga podem superar amplamente esses números e chegam a 234,01% anual no “cheque especial”.

Em sua última reunião para fixar os juros, o Banco Central sugeriu que prosseguirá endurecendo a política monetária, em uma tentativa de controlar a inflação, que mostra “resistência” em alta de juros.

Os analistas do mercado financeiro elevaram suas previsões sobre a inflação para este ano em 12 centésimos, até 6,47%, número próximo ao teto considerado como tolerável pelo governo brasileiro (6,5%), segundo uma pesquisa semanal divulgada hoje pelo Banco Central. EFE