Depoimento de testemunhas encerram 5º dia de julgamento de Elize Matsunaga

  • Por Jovem Pan
  • 03/12/2016 09h41
SP - CASO YOKI/JULGAMENTO - GERAL - Elize Matsunaga (e), de 34 anos, durante julgamento realizado no Fórum Criminal da Barra Funda, na zona oeste da capital paulista, nesta quinta- feira, 01. Elize está presa desde 2012 por matar e esquartejar o marido, o empresário Marcos Kitano Matsunaga, herdeiro do grupo Yoki. O crime aconteceu no triplex onde o casal morava com a filha, na Vila Leopoldina, zona oeste de São Paulo. 01/12/2016 - Foto: MISTER SHADOW/ASI/ESTADÃO CONTEÚDOElize Matsunaga AE

O quinto dia do julgamento de Elize Matsunaga, acusada de matar e esquartejar o marido em 2012, se encerrou com o fim dos depoimentos das testemunhas. Os que participaram do juri, demonstraram cansaço após a longa semana na Corte.

A principal testemunha rolada pela defesa, o médico legista Sami Jundi, defendeu que a causa da morte de Marcos Matsunaga foi o tiro dado por Elize, já estando morto no momento em que foi esquartejado. Os defensores acreditam que, após o depoimento do perito, duas das três qualificadoras do crime caem: impossibilidade de defesa e meio cruel.

“As duas qualificadoras que são objetivas, que demonstravam alguma pequena dúvida, foi sanada. Tanto pelo Coelho, que ontem já tinha trazido essas possibilidades, e hoje (sexta-feira) foi sepultada com o doutor Sami”, disse a advogada.

A tese foi rebatida pela acusação, que classificou o depoimento “surpreendente”, após um erro do médico legista sobre o local por onde a bala teria atravessado a cabeça da vítima, sustentando a tese de que Marcos estava vivo quando teve o corpo cortado.

Confira no áudio acima mais detalhes sobre o quinto dia do julgamento na voz de Felipe Palma.