Dilma pede que Obama ligue para ela se quiser “alguma informação não pública”

  • Por Jovem Pan
  • 01/07/2015 10h19
Dilma Rousseff e Barack Obama

E depois da turbulência, a cordialidade voltou a marcar o diálogo entre os presidentes Barack Obama e Dilma Rousseff. Nesta terça (30) em Washington os dois fizeram questão de mostrar que o passado ficou para trás. Confira na matéria de Victor La Regina.

Em clima de cordialidade, Dilma Rousseff e Barack Obama se reúnem na Casa Branca para fazer acordos e alinhar discursos.

O encontro dos dois presidentes serviu para retomar o diálogo entre os governos de Brasil e Estados Unidos depois do escândalo de espionagem norte-americana em outros países.

Há quase dois anos, em 2013, um encontro que estava previsto para ocorrer em Washington foi cancelado depois que as denúncias de monitoramento foram feitas.

Ao lado do parceiro Obama, a presidente Dilma fez questão de deixar claro que os problemas com os Estados Unidos já foram superados.

“De lá pra cá algumas coisas mudaram e a mudança se deve ao fato de o presidente Obama e o governo dos Estados Unidos terem declarados em várias oportunidades que não teriam mais atos que seriam de intrusão em países amigos. Eu acredito no presidente Obama, e mais: ele também me diz que quando quiser ele… Se fosse o caso de ele precisar de alguma informação não pública sobre o Brasil, ele me telefonaria”.

A volta do bom diálogo entre os dois governos trouxe também facilidades a brasileiros que querem ir aos Estados Unidos.

Até a metade de 2016, o Brasil fará parte do programa Global Entry que permite a liberação rápida no controle de passaportes na chegada ao território norte-americano.

Mas a medida só vale para viajantes frequentes, que precisam fazer um cadastro antecipado e serem considerados de baixo risco pelas autoridades americanas.

Informações do repórter Victor LaRegina