Dilma se compromete com MST a dar novo impulso à reforma agrária

  • Por Agencia EFE
  • 13/02/2014 15h22

Brasília, 13 fev (EFE).- A presidente Dilma Rousseff recebeu nesta quinta-feira um grupo de líderes do Movimento dos Sem-Terra (MST) e assegurou ao grupo que dará um novo impulso na implementação da reforma agrária, que segundo o coletivo está “paralisada”.

“Tratamos sobre a emergência da reforma agrária, que está paralisada em seu governo, e expusemos que não haverá reforma agrária sem expropriações de terras”, declarou após o encontro Alexandre Conceição, membro da direção nacional do MST.

O ministro de Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, disse que o governo tentará dar mais qualidade à reforma agrária, assentando os trabalhadores em terras que tenham os devidos sistemas de irrigação, e também oferecerá mais apoio técnico e planos de formação.

Ontem, um protesto realizado pelo MST em Brasília terminou em confronto entre os manifestantes e a polícia e terminou com vários feridos.

Segundo Vargas, o episódio não foi abordado na conversa que Dilma teve com os líderes do MST, realizada no Palácio do Planalto.

Durante o encontro, os ativistas entregaram a presidente um documento com suas queixas e propuseram que se adote um plano de “Reforma Agrária Popular”, que é o principal assunto do sexto Congresso Nacional do MST, que começou na segunda-feira em Brasília e terminará amanhã.

No documento, entregue aos jornalistas, o movimento diz que “há uma necessidade urgente de promover mudanças na reforma agrária”, para com isso assentar a cerca de 150 mil famílias acampadas em todo o país. EFE

ed/dk