Dois milhões de pessoas deixam de receber água do Cantareira

  • Por Jovem Pan
  • 31/05/2014 13h08

Mais de dois milhões de pessoas vão deixar de ser abastecidas pela água do Cantareira até setembro para preservar o sistema que enfrenta a pior seca. No início do ano, os reservatórios atendiam 9 milhões na Grande São Paulo e, após estiagem, 1 milhão e meio recebem água do Alto Tietê e da Guarapiranga.

O nível do Cantareira segue em queda e nesta sexta-feira chegou a 25%, já levando em conta o volume morto, captado desde o dia 15. Em entrevista a Thiago Uberreich, o governador Geraldo Alckmin destacou que a manobra nos sistemas é uma forma de evitar o racionamento.

*Ouça os detalhes no áudio

O governador Geraldo Alckmin lembra que o bônus para quem economizar água foi ampliado para 40 cidades, incluindo a capital. O professor de recursos hídricos da USP, Júlio Cerqueira César Neto, achou acertada a manobra entre nos reservatórios.

Neto disse ainda que é possível superar a crise hídrica sem a necessidade de racionamento. Além da Grande São Paulo, o sistema Cantareira atende municípios da região de Campinas, no interior do Estado.