CNI: Corte na taxa básica de juros é decisão ‘muito acertada’

Para entidade, queda na Selic contribuirá para reduzir custo de financiamentos para empresas e para a população

  • Por Jovem Pan
  • 17/06/2020 19h19 - Atualizado em 17/06/2020 19h33
Foto: Miguel ÂngeloPresidente da CNI, Robson Braga de Andrade

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) avalia que a decisão do Banco Central (BC) de reduzir a taxa básica de juros, Selic, para 2,25% ao ano foi correta. Nesta quarta-feira, 17, o Comitê de Política Monetária do Banco Central, o Copom, reduziu a taxa básica de juros da economia brasileira, atingindo o menor percentual da Selic desde 1999, quando entrou em vigor o regime de metas para a inflação.

“Mais este corte na taxa Selic, certamente contribuirá para a queda do custo de financiamento das empresas e, também, da população, que, mais do que nunca, necessitam de crédito para atravessar a fase aguda da crise econômica decorrente da pandemia da Covid-19”, afirma o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade.

Para a CNI, a decisão do Copom não compromete o alcance da meta para a inflação e funcionará como estímulo à retomada da atividade econômica. A entidade justifica que a retração na atividade causada pela crise do novo coronavírus provocou queda nos preços de diversos bens e serviços. Com isso, as projeções de inflação para 2020 encontram-se bem abaixo do centro da meta definido pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), de 4% ao ano.

Ainda de acordo com a CNI, o espaço para cortes adicionais da Selic ainda este ano deve ser mais limitado e dependerá do ritmo de recuperação da atividade e das perspectivas com relação à retomada da agenda para a competitividade e das reformas estruturantes, como a reforma tributária, além da busca pelo equilíbrio fiscal. “A sobrevivência das empresas exige medidas de facilitação do acesso ao crédito. O que o empresário espera, neste momento, é que a redução dos juros chegue na ponta, com redução do custo e aumento da oferta de financiamentos”, acrescenta o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade.