Conta de luz não deve ter taxa extra neste ano, afirma ONS

Diretor do órgão afirma que reservatórios cheios após chuvas de verão devem garantir fornecimento sem ‘tanta dor no bolso’

  • Por Jovem Pan
  • 11/04/2022 15h58 - Atualizado em 11/04/2022 16h59
CESAR CONVENTI / FOTOARENA / ESTADÃO CONTEÚDO Conta de energia elétrica e lâmpada Conta de luz teve bandeira tarifária maior criada em 2022

O diretor-geral do Operador do Sistema Elétrico Nacional (ONS), Luiz Carlos Ciocchi, afirmou nesta segunda, 11, que espera que não seja necessário cobranças extras nas contas de energia elétrica dos consumidores brasileiros até o fim de 2022. De acordo com Ciocchi, as chuvas de verão conseguiram encher os reservatórios das usinas hidrelétricas a bons níveis, e não deve ser necessário alterar as bandeiras tarifárias. O sistema deve entrar em bandeira tarifária verde, sem aumento na contas de luz dos consumidores, a partir da segunda quinzena de abril, depois de oito meses na bandeira “escassez hídrica”, criada para conter o rombo no setor com a causada pela seca. Quando faltam chuvas, torna-se necessário usar a energia gerada por usinas termelétricas, mais cara, como ocorreu em 2021.

“Teremos um ano bastante bom, bastante tranquilo, que não vai causar tanta dor de cabeça, tanta dor no bolso”, afirmou Ciocchi. “Nós estamos com os reservatórios numa boa condição e nós só vamos ter o despacho térmico dentro da ordem de mérito, ou seja, só utilizando as térmicas inflexíveis [que precisam funcionar, de acordo com contratos prévios]. Nessa situação, a tendência, a expectativa de todo o setor elétrico é que a gente passe todo este ano com bandeira verde”, disse. O diretor do ONS relatou ter expectativas, ainda, de que 2023 também seja tranquilo, com a realização de novos projetos de geração e transmissão de energia em funcionamento, ainda que haja seca em 2022. De acordo com dados do ONS atualizados no domingo, 10, o nível dos reservatórios está em 65,14% no subsistema Sudeste/Centro-Oeste; 51,68% no Subsistema Sul; 97,24% no Subsistema Nordeste: 97,24% e 98,43% no Subsistema Norte.