Fábricas da China reabrem, mas exportações apresentam forte queda

  • Por Jovem Pan
  • 26/03/2020 12h38
EFE/EPA/WU HONGQueda nas exportações chegará na faixa de uma queda de 20-45% na comparação ano a ano no segundo trimestre

Com o cancelamento de encomendas do exterior e adiamento de pedidos, empresários da China sofrem com os impactos da pandemia do coronavírus na economia.

No início do surto, o país impôs restrições de viagem rígidas e suspensões de trabalho às fábricas para conter a disseminação do vírus. Agora, as encomendas do exterior estão sendo canceladas à medida que a pandemia devasta as economias dos parceiros comerciais da China.

“A interdição inédita da atividade econômica certamente causará uma contração dramática nas exportações chinesas, provavelmente na faixa de uma queda de 20-45% na comparação ano a ano no segundo trimestre”, disse Thomas Gatley, analista sênior da empresa de pesquisa Gavekal Dragonomics.

O empresário chinês Shi Xiaomin, disse que reduzirá sua produção e pode suspendê-la totalmente se os negócios não melhorarem, e orientou os cerca de 50 trabalhadores a procurarem outros empregos.

“Sabemos que este ano está ruim e que o ano que vem seria melhor, mas a questão é: quantas fábricas aguentam até o ano que vem?”, indagou.

Inicialmente, economistas previram uma recuperação em V para a economia do país, semelhante àquela vista após a epidemia de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Sars) em 2003. Desde então, analistas reduziram suas previsões a níveis que não são vistos desde o final da Revolução Cultural em 1976.

*Com informações do Estadão Conteúdo