Desemprego cresce e chega a 12,5% em abril, diz IBGE

Ao todo, o Brasil tem 13,2 milhões de brasileiro sem emprego

  • Por Jovem Pan
  • 31/05/2019 09h10
Fotos PúblicasAo todo, o Brasil tem 13,2 milhões de brasileiro sem emprego

O desemprego ficou em 12,5% no trimestre encerrado em abril, conforme divulgou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira (31) por meio da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua). Ao todo, o Brasil tem 13,2 milhões de brasileiro sem emprego.

Na comparação com o trimestre imediatamente anterior — novembro de 2018 a janeiro de 2019 –, a taxa de desocupação cresceu 0,5%. Isso significa um aumento de 552 mil pessoas que enfrentam o desemprego — eram 12,6 milhões nos três meses anteriores.

Em relação ao mesmo período do ano passado, o indicador caiu 0,4%. A população desempregada ficou estável em relação a igual período de 2018 (13,4 milhões de pessoas).

A população ocupada (92,4 milhões de pessoas) ficou estável na comparação com o trimestre anterior (92,3 milhões de pessoas) e cresceu 2,1% (mais 1.937 mil pessoas) na comparação como o mesmo período de 2018 (90,4 milhões de pessoas).

Para a comentarista Denise Campos de Toledo, o desemprego ainda é ruim, mas “parou de piorar”. No Jornal da Manhã, da Jovem Pan, ela afirmou que os dados refletem o impacto dos números divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado pelo Ministério do Trabalho em abril, quando houve geração de mais de 129 mil vagas com carteira assinada.

Subutilização

A taxa de subutilização da força de trabalho fechou o trimestre encerrado em abril em 24,9%. Isso representa uma variação de 0,7% em relação aos três meses anteriores, quando era de 24,2%). Já na comparação com o mesmo trimestre de 2018, houve um aumetno de 0,4% — eram 24,5% no período.

A população subutilizada atingiu o maior patamar desde o início da série histórica, em 2012, com 28,4 milhões de pessoas. Ela teve alta em ambas as comparçaões: 3,9% (mais 1.063 mil pessoas) frente ao trimestre anterior (27,3 milhões de pessoas) e 3,7% (mais 1.001 mil pessoas) no confronto com igual trimestre de 2018 (27,4 milhões de pessoas).