Dólar acumula queda na semana, mas fecha em alta nesta sexta-feira

Divisa voltou a subir após dúvidas sobre o acordo comercial entre os EUA e a China

  • Por Jovem Pan
  • 13/12/2019 19h09
Agência BrasilEm meio às incertezas sobre os acertos, o dólar voltou a subir aqui, indo a R$ 4,11, e também operou em alta na maioria dos mercados emergentes

O dólar fechou a sexta-feira (13) acumulando queda de 0,95% na semana. Em dezembro, a moeda americana já recua 3,14%. O aumento do otimismo com o Brasil e a menor tensão comercial entre Estados Unidos e China levou investidores estrangeiros a reduzirem de forma significativa as apostas contra o real no mercado futuro da B3. Somente nos últimos quatro dias, as posições compradas (que ganham com a alta do dólar) caíram em US$ 3,4 bilhões. O dólar à vista fechou cotado a R$ 4,1076, em alta de 0,34%.

Nesta sexta-feira, o noticiário sobre as negociações comerciais entre a China e os Estados Unidos ditaram o comportamento do câmbio no Brasil. A moeda americana chegou a cair a R$ 4,07 com o anúncio de que um acerto havia sido alcançado. Mas quando ficou claro que tratava-se somente do acordo “fase 1” ainda sem muitos esclarecimentos, a divisa voltou a subir. A alta do dólar também foi provocada por conta de incertezas sobre os próximos passos das negociações, a “fase 2” do acerto.

Em meio às incertezas sobre os acertos, o dólar voltou a subir aqui, indo a R$ 4,11, e também operou em alta na maioria dos mercados emergentes.

O economista-chefe para Brasil do Citi, Leonardo Porto, ressaltou que o quadro que se desenha em 2020 é mais positivo: o crescimento da economia deve se acelerar, algumas reformas devem avançar e o cenário externo deve ficar menos adverso, pois o banco não prevê escalada da guerra comercial entre EUA e China. A expectativa do banco é que o rating soberano brasileiro possa ter uma elevação no segundo trimestre.

Ao mesmo tempo, Porto disse que investidores internacionais do banco têm feito perguntas sobre as chances de protestos no País, após verem uma onda de manifestações no Chile, Bolívia e Colômbia. Esse temor foi um dos que ajudou o dólar a chegar perto de R$ 4,30 em novembro, afirmou.

O Citi prevê que o dólar deve fechar este ano no nível de R$ 4,05 e deve seguir ao redor de R$ 4 em 2020. Para o fechamento do ano que vem, a moeda deve terminar em R$ 3,95.

* Com informações do Estadão Conteúdo