Dólar: Bolsonaro diz debater sobre o que fazer ‘legalmente’ para conter alta

O presidente tem conversado com ministros e com o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, para definir como atenuar o movimento

  • Por Jovem Pan
  • 11/09/2020 09h43
Marcos Corrêa/PRAlém da questão cambial, Jair Bolsonaro atribuiu ainda ao aumento da demanda por causa do auxílio emergencial

O presidente da República, Jair Bolsonaro, disse na quinta-feira, 10, durante transmissão ao vivo para redes sociais, que mantém conversas com ministros e com o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, para entender os motivos da alta do dólar ante o real e se algo pode ser feito para atenuar o movimento. “Tenho conversado sempre com os ministros e o presidente do Banco Central [sobre] o que a gente pode fazer pro dólar não subir tanto, o que o governo pode fazer legalmente, obedecendo às regras do mercado”, afirmou Bolsonaro. O presidente não deu mais detalhes sobre as possíveis conversas.

O comentário foi feito em um momento da transmissão no qual ele falava dos motivos pelos quais o arroz tem ficado mais caro no Brasil. Além da questão cambial, Jair Bolsonaro atribuiu ainda ao aumento da demanda por causa do auxílio emergencial, benefício assistência do governo federal adotado para conter os impactos da pandemia da Covid-19 na economia. Instantes antes, o presidente reforçou que não vai interferir no mercado e tabelar os preços para reduzir a alta do alimento. “Eu não vou interferir no mercado, tem que valer a lei da oferta e da procura. Já conversei com a ministra Teresa Cristina e Paulo Guedes sobre o que podemos fazer com a alta do preço, mas ninguém quer tabelar nada, nem interferir em nada”, ressaltou.

*Com Estadão Conteúdo