Dólar cai com avanços em tratativas de cessar-fogo na Europa; Bolsa sobe

No cenário doméstico, investidores analisam repercussão da troca do comando da Petrobras

  • Por Jovem Pan
  • 29/03/2022 17h24
Vladimir Solomyani/Unsplash Cédulas de dólar amontoadas Dólar mantém trajetória de alta pelo terceiro dia seguido

Os principais indicadores do mercado financeiro brasileiro fecharam no campo positivo nesta terça-feira, 29, refletindo o bom humor internacional após os avanços nas negociações de um cessar-fogo no Leste Europeu. Na cena doméstica, os investidores acompanharam as repercussões da troca de comando na Petrobras com a nomeação de Adriano Pires para o posto de Joaquim Silva e Luna. Diante destes cenários, o dólar fechou com queda de 0,3%, a R$ 4,758. O câmbio chegou a bater a máxima de R$ 4,785, enquanto a mínima não passou de R$ 4,718. A divisa norte-americana encerrou a véspera com avanço de 0,53%, cotado a R$ 4,773.  Seguindo o clima positivo nos mercados globais, o Ibovespa, referência para a Bolsa de Valores brasileira, encerrou com alta de 1,1%, aos 120.014 pontos, o maior patamar desde o fim de agosto de 2021. O pregão desta segunda-feira, 28, fechou com leve queda de 0,3%, aos 118.737 pontos.

Representantes da Rússia e Ucrânia se reuniram em Istambul, na Turquia, para realizar uma nova rodada de negociações. Pela primeira vez desde o início da guerra, ambos os lados informaram que houve avanços significativos. A Ucrânia aceitou adotar um status neutro e abrir mão de fazer parte da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), já a Rússia se propôs a reduzir os ataques na região de Kiev e na cidade de Chernihiv. O ingresso da Ucrânia na União Europeia foi outro tema tratado durante esta reunião que voltou a ser realizada de forma presencial. Isso não acontecia desde o dia 10 de março. Pela primeira vez a Rússia abandonou a demanda pela “desnazificação”, da “desmilitarização” e “proteção do status do idioma russo”. As indicações de redução das tensões derrubam a cotação do petróleo. O barril do tipo Brent, referência na maior parte do mundo, operava com queda de 1,5%, aos US$ 110. Já o WTI, base do mercado nos EUA, recuava 1,1%, aos US$ 104.

Na pauta doméstica, os investidores analisaram o movimento de troca no comando da Petrobras. Após semanas de atrito com o presidente Jair Bolsonaro (PL) em meio ao encarecimento dos combustíveis, o presidente Silva e Luna foi informado nesta segunda-feira que vai deixar a presidência. O governo indicou Adriano Pires, diretor-fundador do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE), onde coordena projetos e estudos para a indústria de gás natural, a política nacional de combustíveis, o mercado de derivados de petróleo e gás natural. O anúncio da troca não gerou grandes impactos devido ao histórico de defesa do novo indicado da atual política de preços da estatal. As ações ordinárias (PETR3) encerraram com alta de 1,1%, a R$ 34,45, enquanto as preferenciais (PETR4) subiram 2,5%, a R$ 32,38.