Economia mundial está desacelerando mais rápido do que o esperado, aponta FMI

  • 01/03/2019 18h19
Divulgação-FMI2018 teve melhores taxas de crescimento mundial desde a crise

A Diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, afirmou nesta sexta-feira, 1, que, embora o crescimento econômico no mundo em 2018 tenha sido próximo das melhores taxas de crescimento desde a última crise, a expansão está desacelerando. Segundo ela, não há uma recessão neste momento, mas é bem claro que os riscos para tal aumentaram.

Em discurso em Lisboa, Lagarde listou desafios ao quadro de crescimento global, como o aumento das tensões comerciais. Ela citou que uma nova escalada em barreiras comerciais pode reduzir o crescimento global em quase meio ponto porcentual, com cadeias de produção afetadas e ambiente de investimentos mais incerto.

Lagarde apontou também para o crescente endividamento mundial, que subiu a US$ 182 trilhões no fim de 2017, quase 60% superior a 2007. Isso deixa governos, empresas e famílias mais vulneráveis a um crescimento menor e sem sincronia, bem como a taxas de juros mais elevadas, alertou.

Lagarde afirmou ainda que a transição para um crescimento menor e mais sustentável na China é “bem-vinda”, mas ponderou que há risco de desaceleração mais rápida do que o previsto na potência asiática. Mesmo com medidas de estímulo eficazes, elas podem estar orientadas para atividades menores intensivas em importações. Com isso, o restante do mundo continuará a sentir a desaceleração chinesa.

Clique aqui para conferir o gráfico do FMI com o PIB dos países.

*Com informações do Estadão Conteúdo