Golpe da Fruta: Mercado Municipal de São Paulo interdita boxes após denúncias

A administradora do local confirmou que os comércios lacrados são reincidentes; reclamações haviam sido realizadas pelo Procon e no SAC da empresa

  • Por Jovem Pan
  • 15/02/2022 20h59
Danilo Yoshioka/Estadão Conteúdo Mercado Municipal de São Paulo Mercado Municipal de São Paulo interdita boxes de frutas após reclamações de golpes

A Mercado SP SPE, empresa que administra o Mercado Municipal de São Paulo, informou à equipe de reportagem da Jovem Pan nesta terça-feira, 15, que três boxes de comércio foram interditados após o recebimento de reclamações sobre o ‘Golpe da Fruta’. Segundo a concessionária, “após novas denúncias recebidas em seu SAC e pelo Procon, tendo como alvo lojas já reincidentes, interditou três boxes de comércio de frutas nesta tarde.” Nas imagens enviadas, as lojas lacradas aparecem com um aviso de interdição, acompanhados da explicação: “Por descumprimento ao regime interno e a legislação vigente”.

Usuários no Twitter denunciavam as práticas abusivas realizadas pelos comerciantes no Mercadão de São Paulo. Segundo internautas, os lojistas chegam a cobrar R$ 200 em uma única bandeja de fruta. Outros explicam como o golpe funcionava: “A bandeja foi pesada na parte de trás da banquinha, ficou no valor de R$ 79. Ficamos sem reação, até porque uma outra quantidade de frutas foi colocada a mais na bandeja. Explicamos que não queríamos a quantidade, por conta do valor, e logo ele [vendedor] começou a nos coagir para que levássemos de qualquer forma. Eu e minha amiga não abrimos mão do pagamento e provavelmente ele percebeu que havíamos entendido que aquilo era um ‘golpe’ e começou a diminuir o preço. Mas também foi só por isso e por medo que algo acontecesse assim que saíssemos do mercado”, explica Rubens Júnior (@rubeistica).