Governo anuncia R$ 2 bi em obras e linha de crédito de R$ 500 mi para caminhoneiros

De acordo com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, a linha de crédito de até R$ 30 mil poderá ser acessada, primeiramente, pelos bancos públicos e, depois, pelos privados

  • Por Jovem Pan
  • 16/04/2019 11h59
Estadão ConteúdoO ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, fez o anúncio nesta terça-feira (16) no Palácio do Planalto

O governo federal anunciou nesta terça-feira (16) o investimento de R$ 2 bilhões em rodoviais. Além disso, serão liberados R$ 500 milhões em uma linha de crédito para caminhoneiros autônomos.

O anúncio foi feito no Palácio do Planalto pelo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. “O governo anuncia neste momento uma linha de crédito específica para caminhoneiros autônomos de até R$ 30 mil para compra de pneus e manutenção dos veículos”, afirmou Onyx.

De acordo com o ministro, a linha de crédito de até R$ 30 mil poderá ser acessada, primeiramente, pelos bancos públicos (Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal) e depois “nos demais bancos e cooperativas de crédito de todo o Brasil”.

Segundo Onyx, poderão tomar o empréstimo apenas caminhoneiros autônomos que tenham até dois caminhões por CPF.

Dos R$ 2 bilhões para as rodovias, cerca de R$ 900 milhões serão usados para manutenção, segundo Onyx. Ele afirmou as chuvas intensas do verão, aliadas ao transporte rodoviário, prejudicaram estradas em todo o país. “Historicamente, há muitos anos nós não tínhamos chuvas tão intensas e tão difusas no Brasil. Nós já não tínhamos uma manutenção das rodovias brasileiras”, disse.

Também presente na entrevista coletiva, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, informou que, entre as obras previstas, está a pavimentação da BR-163, que liga o Centro-Oeste ao Norte do país.

O anúncio dos investimentos e da linha de crédito aos caminhoneiros ocorre cinco dias depois de o presidente Jair Bolsonaro vetar o reajuste do preço do óleo diesel anunciado pelo Petrobras. A decisão teve reação imediata: as ações da estatal caíram e o valor de mercado da empresa recuou R$ 32 bilhões apenas na sexta-feira da semana passada (12).